Unidades de saúde do interior maranhense intensificam ações de combate a Hanseníase

Material educativo alerta sobre a doença. (Foto: Divulgação)

Em alusão ao Janeiro Roxo, mês dedicado ao combate a hanseníase, as unidades da rede estadual de saúde no interior, também, desenvolvem atividades especiais de alerta sobre os sinais e sintomas da doença, além de incentivar a procura pelos serviços de saúde para o rápido diagnóstico.

Sete unidades do interior, vinculadas a Secretaria de Estado de Saúde (SES), realizam programação especial com palestras sobre autocuidado com orientações na identificação de manchas brancas ou avermelhadas na pele e dos exames necessários para diagnóstico, tratamentos com medicação, fisioterapia e psicológico com foco na ampla possibilidade de cura. Todos estes temas são abordados por profissionais da área de enfermagem, fisioterapia, assistência social, farmácia e psicologia.

A diretora administrativa do Hospital Macrorregional Tomás Martins, Thayse Lima, disse que a programação na unidade, além de levar informação aos pacientes e acompanhantes, é um espaço de aprendizado e compartilhamento de conhecimentos. “Levamos muito a sério a saúde das pessoas e a programação especial de combate a hanseníase reflete essa preocupação em alertar sobre o autocuidado e diagnóstico precoce. A informação é a grande aliada neste processo”, afirmou Thayse.

A hanseníase se manifesta de dois a sete anos após a infecção pela bactéria Mycobacterium leprae. A transmissão se dá de uma pessoa doente e sem tratamento para outra, após um contato próximo e prolongado, especialmente, no ambiente de convivência domiciliar.

Os principais sintomas da hanseníase são manchas avermelhadas, esbranquiçadas ou amarronzadas no corpo, com diminuição ou perda de sensibilidade ao calor, ao tato e à dor; caroços avermelhados, às vezes doloridos; sensação de choque com fisgadas ao longo dos braços e pernas; áreas com diminuição de pelos e suor; e o engrossamento do nervo que passa pelo cotovelo, levando a uma perda da força do quinto dedo da mão.

BOX // Confira a programação nas unidades

Dia 18/01

Hospital Regional de Carutapera
14h – Ginástica laboral, palestras dobre o tema “Saúde Mental” e distribuição de panfletos

Hospital Macrorregional Tomás Martins
9h- Palestra sobre Hanseníase

Dia 21/01
Hospital Geral de Alto Alegre
9h- Palestra sobre autocuidado

UPA Codó
8h – Palestra com pacientes e funcionários da unidade visando alertar sobre os sinais e sintomas da Hanseníase e estímulo ao tratamento

Dia 25/01
Hospital Regional de Barreirinhas
8h30 – Ações voltadas para conscientização do diagnóstico precoce da hanseníase e exames para funcionários e acompanhantes, palestras enfatizando a prevenção e tratamento

Dia 28/01
UPA Bernardo Sayão/Imperatriz
Manhã – Ação educativa e de alerta sobre a Hanseníase
Tarde – Palestras em formato de Pit Stop sobre Hanseníase e Quizz de perguntas e respostas a respeito desta patologia
Hospital Regional de Carutapera
8h – Palestras dobre o tema “combate e prevenção da Hanseníase”; distribuição de panfletos; teste rápido
Hospital Geral de Alto Alegre
9h – Palestras com o tema “O compromisso de controlar a hanseníase, promovendo diagnóstico e o tratamento correto”

Hospital de Paulino Neves
8h – Palestra com o tema “Abordagem clínica sobre Hanseníase”

Dia 29/01
UPA Bernardo Sayão/Imperatriz
9h – Busca ativa de pacientes