População recebe orientação no Dia D de Combate ao Fumo no Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo

O Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo realizou, nesta quinta-feira (29), o Dia D de Combate ao Fumo, orientando a população sobre os riscos do consumo do cigarro e sobre os serviços de saúde que ajudam no tratamento daqueles que querem parar de fumar. A ação fez parte da programação da Campanha Nacional de Combate ao Fumo, realizada no Maranhão pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“Durante todo o mês, fizemos ações em todo o estado, repassando informações importantes em relação ao fumo e suas consequências, como o câncer de boca e pulmão. Precisamos prevenir novos usuários, assim como oferecer tratamento para aqueles que querem deixar de usar o cigarro”, informou o superintendente de Atenção Primária em Saúde da SES, Márcio Menezes.

No Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo, os usuários à espera de consulta participaram de uma palestra, no qual foram informados sobre os malefícios do fumo, órgãos afetados, assim como a existência dos consultórios dos fumantes, que oferecem tratamento adequado.

“O Programa de Combate ao Tabagismo, do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso da SES, realiza um trabalho no estado com todos os municípios, habilitando os consultórios dos fumantes. Eles dispõem de aconselhamento e medicamento para aqueles que queiram parar de fumar. Além disso, fazemos a prevenção com o Programa Saúde na Escola, já que os dados nos mostram que a iniciação do fumo começa entre 9 e até 18 anos”, destacou a chefe do departamento, Claudiana Cordeiro.

Presente à palestra, Erilia Costelo Branco começou a fumar ainda criança, quando foi ensinada a acender o cigarro pelos avós fumantes. Na adolescência, já era usuária frequente. Ela buscou tratamento após mais de 20 anos do vício quando fazia o curso enfermagem, apoiada por uma professora, que lhe apresentou o consultório do fumante.

Dia D de Combate ao Fumo (Foto: Rogério Sousa)

“Nasci em uma família de fumantes. Com 12 anos já não conseguia ficar sem cigarro. Depois minha avó já comprava os maços e dividia comigo. Quando vim para São Luís estudar, descobrimos que minha avó estava com câncer de pulmão e veio a óbito. Dois anos depois, foi meu avô, também com câncer de pulmão. Fizemos exames e todos tínhamos alguma coisa. Achei que estava hora de parar”, relatou.

Após passar por tratamento, a enfermeira foi trabalhar em uma unidade básica em Penalva, onde implantou um consultório do fumante para ajudar outras pessoas a pararem de fumar. “Agora é salvar outras vidas. O fumo mata. Sempre digo que o primeiro passo é não ter medo de procurar ajuda. Muita gente acha que para na hora que quer, mas não é assim”, disse.

O Centro de Saúde Dr. Genésio Rêgo é a referência dentro da rede estadual de saúde para o tratamento da doença. Além de obter informações e auxílio, é possível fazer o rastreamento do câncer bucal na unidade.

“Trabalhamos na perspectiva da educação em saúde, mas também temos o serviço de rastreamento. Todos os dias, informamos na sala de espera sobre os malefícios e quem é o grupo de risco, que é o fumante e ex-fumante”, comentou a coordenadora da assistência social do centro, Anselma Viegas.