Hospitais discutem fluxo de atendimento a gestantes entre unidades do interior e da capital

Representantes de três hospitais administrados pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH) no interior do estado, da diretoria da Empresa e da Secretaria de Estado da Saúde (SES) participaram, na sexta-feira (31), de uma reunião estratégica para discutir fluxos de atendimento, realizar pactuações e fortalecer ainda mais a assistência na rede materna infantil. O objetivo é integrar os serviços para proteger a saúde de mães e bebês, minimizando riscos.

“Os diretores das unidades vieram para discutir, junto com a Secretaria de Saúde e EMSERH, o processo de regulação dos nossos pacientes para maternidades em São Luís. Isso garante a aproximação da rede e uma parceria mais sólida que atenda os nossos pacientes com mais qualidade”, destacou o presidente da EMSERH, Marcos Grande.

Participaram da reunião os diretores do Hospital Macrorregional Alexandre Mamede Trovão, em Coroatá; do Hospital Regional Adélia Matos da Fonseca, em Itapecuru-Mirim; e do Hospital Regional de Alto Alegre do Maranhão.

“A ideia é integrar a assistência, discutir a pactuação entre as nossas unidades para que uma ajude a outra a gerenciar melhor as mulheres gestantes, bem como as crianças, para que isso reflita em qualidade de atendimento, minimizando os riscos para a mãe e para o bebê. Estamos saindo desta reunião com uma pactuação, as necessidades de cada unidade e nós vamos integrar a assistência de forma que possamos aprimorar ainda mais o atendimento às nossas gestantes”, explicou a diretora clínica da empresa, Vânia Martins.

Segundo o diretor geral do Hospital Regional Adélia Matos da Fonseca, em Itapecuru-Mirim, Índio do Brasil, essa aproximação deixará um legado valioso para a saúde do estado. “Essa filosofia de gestão, de ouvir os nossos anseios, certamente aprimora as nossas condições de trabalho” ressaltou.

A afirmação é ratificada pelo diretor administrativo do Hospital Macrorregional de Coroatá, Francisco Filho. “A EMSERH e a SES vêm criando um movimento para fortalecer o atendimento das gestantes no sentido de diminuir a perda de gestantes e dos recém-nascidos. É a valorização do ser humano, da dignidade das pessoas”, reforçou.

A superintendente de Assistência à Saúde da SES, Jamilly Pontes, explicou que, além da reunião, os diretores fizeram uma visita à Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (MACMA), em São Luís, para observar a experiência no cuidado a gestantes e recém-nascidos. “Vamos fortalecer a nossa rede materno-infantil, aproximando unidades para troca de experiências, o que vai permitir uma conduta ainda mais assertiva para as nossas gestantes”, finalizou.