Governo leva ações de saúde para a 60ª Expoema

Governo leva ações de saúde para a 60ª Expoema. (Foto: Julyane Galvão)

Quem for à 60ª edição da Exposição Agropecuária do Maranhão (Expoema), no Parque Independência, até o dia 21 de outubro, vai ter acesso à prestação de serviços, balcão de informações e diversas orientações de saúde promovidas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Durante a exposição, a Secretaria Adjunta da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES realizará atividades de educação sanitária para a população, microempreendedores e produtores familiares.

O secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, explica que o Governo do Estado oferece todo o suporte para o fortalecimento destas ações em prol da população. “Ações desta natureza são muito importantes para a população e por isso existem várias frentes de informação para que a Vigilância em Saúde cumpra seu papel social”, disse.

Temas como combate ao mosquito Aedes aegypti, doença de Chagas, leishmaniose e os riscos das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) serão apresentados para milhares de pessoas que circulam no local do evento.Além disso, ocorrerá a distribuição de preservativos, folders informativos sobre as DSTs, orientação sobre como lidar com o barbeiro (Rhodnius prolixus), inseto transmissor do mal de Chagas. Serão ofertados, também, serviços de imunização e palestras sobre a importância da vigilância sanitária.

Para a ambulante Rita do Caldo, a educação sanitária é fundamental para a formação de gerações mais conscientes. Ela foi uma das pessoas que passaram pelo estande durante o fim de semana e recebeu orientações sobre o tema.

“Ações deste tipo são muito importantes, pois aprendemos a realizar o descarte adequado e como prevenir as doenças, principalmente as causadas pelo aedes. Aprendi a não deixar água acumulada, parede dos vasos sujos e tudo isso é muito bom. Espero que outras pessoas passem por aqui também e passem a ter um pouco mais de cuidado com o próprio ambiente”, contou.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde(SES)