Governo capacita profissionais da atenção básica sobre diabetes

 

IMG_2397A Pesquisa Nacional de Saúde mais recente realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, mostrou que o diabetes atinge 9 milhões de brasileiros – o que corresponde a 6,2% da população adulta. No Maranhão, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), estima-se que cerca de 500 mil maranhenses sejam portadores da doença.

Com o intuito de oferecer um melhor suporte e, assim diminuir os índices da diabetes no estado, o Governo do Maranhão promoveu na última terça e quinta-feira, uma capacitação para profissionais que trabalham na atenção básica e na média complexidade. O treinamento “Diabetes e Formas de Controle”  foi realizado pela equipe de Educação em Diabetes do Estado do Maranhão em parceria com a Supervisão de Educação em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde – SES e a Uema. Via tecnologia da Uemanet, a capacitação foi apresentada ao vivo – tanto presencialmente, quanto via web conferência – para profissionais de mais de 48 municípios, incluindo a região metropolitana de São Luis.

“O departamento de educação em saúde da SES detectou a necessidade de capacitar os profissionais do interior do estado sobre a educação em diabetes e nos deu a missão de preparamos o treinamento. E depois de avaliar a melhor forma de chegar a esses profissionais, buscamos a parceria com a Uema, para via portal da Uemanet, alcançarmos o maior número de pessoas no interior do estado, alguns presencialmente, outros online, via portal da Uema”, explicou a psicóloga Gardênia Régia dos Santos da equipe de Educação.

Durante os dois dias de aula, os profissionais tiveram aulas com médicos, nutricionistas e psicólogos que integram a equipe de Educação em Diabetes do Maranhão e puderam interagir ao vivo de forma a esclarecer quaisquer dúvidas. “Essa capacitação foi uma maneira de instrumentalizar estes profissionais para que eles consigam dar conhecimento aos pacientes da melhor forma possível acerca dos conhecimentos sobre o controle do diabetes. Preparamos uma programação que abarcou as várias áreas que envolvem o tratamento do paciente diabético e demos a eles os meios para que eles estejam paramentados para lidar e orientar esses pacientes”, explicou a psicóloga.

Para os profissionais que não tiveram a oportunidade de participar das aulas, a Uemanet disponibiliza por 7 dias os links da capacitação. “ Os profissionais podem entrar no link, reassistir as aulas ou para quem não pode acompanhar nos dias do treinamento, assistir e tirar as dúvidas via os e-mails que deixamos de contato ao fim das aulas”, explicou a médica Fernanda Thomé da equipe de Educação.

A aula do dia 14 está disponível nos links: http://webconf2.rnp.br/p8ghnxvc87e/ e http://webconf2.rnp.br/p3bggg8yscf/ . A  aula do dia 16, encontra-se disponível nos seguintes endereços: http://webconf2.rnp.br/p5kmplm122e/ e http://webconf2.rnp.br/p7gc1sejmk8/ .

Programa de Educação em Diabetes no CEMESP

Pacientes com diabetes tem acesso a diversos serviços gratuitos no Centro de Medicina Especializada – CEMESP. De acordo com diretora técnica do CEMESP,  Lícia Warwick , através de encaminhamento médico, os pacientes podem realizar consultas, exames e tratamentos com a equipe de profissionais do Centro. “Os pacientes que as unidades básicas de saúde não conseguem realizar o controle da doença, são encaminhados por meio de relatório médico para nós, e aqui, além de receber o atendimento clínico, ele também recebe o apoio educacional para aprender a lidar com diabetes”, explicou a diretora.

No CEMESP, a equipe de Educação em Diabetes do Estado realiza ações diariamente com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos pacientes portadores da diabetes e de reduzir os indicadores em torno da doença no estado. “Esse trabalho de educação é de extrema importância e inclusive existe uma lei que regulamenta o programa de educação desde 2009. E no Maranhão, é a primeira vez que o Estado tem uma equipe de educação em diabetes, justamente por conta desse compromisso que o governador Flávio Dino assumiu e nos convocou para reduzir os índices da doença no nosso estado”, afirmou a médica.