Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses

Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses. (Foto: Francisco Campos)

Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses. (Foto: Francisco Campos)

 

Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses. (Foto: Francisco Campos)

O Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo da Maternidade Benedito Leite, em São Luís, o segundo do estado, tem orientado mulheres de todo o Maranhão sobre planejamento familiar com métodos contraceptivos.

Com a iniciativa de implantação do serviço pelo Governo do Estado, em dois meses, o Centro realizou 680 atendimentos com orientações sobre procedimentos como o uso de camisinha, inserção de DIU (dispositivo intrauterino) e laqueadura. Em relação ao DIU, foram feitas 54 inserções no período. O Centro está em funcionamento desde 29 de março.

 

Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses. (Foto: Francisco Campos)

Nos primeiros 30 dias, o Centro Sentinela registrou 205 atendimentos. No mês seguinte, a procura aumentou e o número subiu para 475. Segunda unidade do gênero no Estado e referência em planejamento familiar, o local atende dois públicos: mulheres que deram à luz na unidade ou estão internadas e pacientes que procuram atendimento de forma espontânea.  “O que me trouxe aqui foi a busca por um método de prevenção que fosse compatível para mim. Vou usar o DIU ou fazer a laqueadura”, disse a dona de casa, Poliana Ferreira, de 26 anos.

Antes da alta médica, as pacientes da Maternidade Benedito Leite participam de uma palestra coletiva para receber orientações sobre os métodos contraceptivos. Ao final, cada mulher tem atendimento individual para informar sua escolha. Rafaela Frazão, enfermeira responsável pelo Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo, ressaltou que a implantação do serviço mostra o compromisso do Governo com a saúde reprodutiva.

“Nosso objetivo é a prevenção e um planejamento familiar para que não ocorra uma gravidez indesejada e, também pra que com isso, tenhamos também redução no número de abortos. Esclarecemos várias dúvidas sobre os métodos contraceptivos, principalmente o uso do DIU. A gravidez precisa ser um momento bem recebido e planejado pelo casal”, disse Rafaela Frazão.

 

Centro de Planejamento da Maternidade Benedito Leite realiza mais de 600 atendimentos em dois meses. (Foto: Francisco Campos)

A maternidade recebeu adequações físicas e os profissionais foram capacitados para receber o Centro Sentinela, composto por ambulatório com equipe multiprofissional formada por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e assistente social. Nos casos de escolha pela laqueadura, a paciente é encaminhada para a Maternidade Nossa Senhora da Penha, onde recebe o tratamento adequado.

Atendimento

Ao procurar a Maternidade Benedito Leite em busca de um método eficaz de prevenção, as mulheres preenchem o Boletim de Atendimento com suas informações pessoais. Depois dessa etapa, elas recebem orientações da equipe sobre os métodos e, conforme a escolha, são direcionadas para consulta com um ginecologista da própria maternidade.

“Após verificarmos os antecedentes clínicos e obstétricos e com base na escolha da paciente prestamos todo o aconselhamento médico com orientações e retirada de dúvidas. Só a partir desse momento é que marcamos o agendamento para a inserção do DIU”, explicou o diretor clínico da unidade de saúde, o médico Manoel Pimentel.

A gestão da Maternidade Benedito Leite é realizada pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Instituto Acqua. O Centro de Sentinela de Planejamento Reprodutivo é fruto do termo de cooperação técnica entre Governo do Estado, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Balsas

Em Balsas, o Governo do Estado, inaugurou o primeiro Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo do Maranhão e, também, do mundo. O atendimento iniciou em 26 de janeiro deste ano na Unidade Básica de Saúde Padre Pedro Fontes de Sousa. Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, falou sobre a importância do centro e o empenho do Governo em colaborar com o aperfeiçoamento da saúde na cidade de Balsas.

“O projeto Sentinela tem um alcance regional e é assim que devemos pensar as políticas de saúde. Com mais essa ação, o governo se mostra atento e interessado em desenvolver uma política concentrada de saúde para essa região específica”, explicou.

O projeto Sentinela é umas das ações do termo de cooperação técnica entre o Estado, a OPAS e a OMS. Em Balsas, o centro oferece às mulheres da região acesso a orientações e métodos contraceptivos, além de realizar o acompanhamento de casos de aborto e violência sexual. O centro integra as ações que vêm sendo implementadas no estado para intensificar os cuidados com o público materno infantil.