Vice-governador Carlos Brandão trata de investimentos com governo federal e embaixadas asiáticas

Vice-governador Carlos brandão e secretário Pierre Januário durante reunião com ministro Aloysio Nunes em Brasília. Foto: Aline Cristina/Secap

O vice-governador Carlos Brandão participou, na quarta-feira (9), em Brasília, de reuniões com o objetivo de consolidar a presença, neste semestre, de missões do Maranhão a países da Ásia (a Missão Ásia) e para acompanhar a reunião BRICS, o grupo de cooperação política e econômica formado entre Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que deve acontecer no próximo mês, na China.

Acompanhado do secretário de Programas Especiais, Pierre Januário, Carlos Brandão visitou embaixadas e conversou com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. Entre os assuntos, a viabilização de roteiro de visitas a Coreia do Sul, Vietnã e retorno à China (Missão Ásia) em outubro deste ano.

“Depois de dois anos de trabalho, o Maranhão está cada vez mais próximo da China, comercialmente e diplomaticamente, onde estaremos de volta, em setembro, para a reunião dos BRICS; em outubro, participaremos da Feira de Cantão, com vários empresários maranhenses”, comentou Carlos Brandão.

A primeira reunião em Brasília foi com o embaixador do Vietnã no Brasil, Do Ba Khoa. Os gestores do Governo do Maranhão discutiram os arranjos produtivos desenvolvidos nos dois países, com foco na cooperação comercial. Eles avaliaram possíveis parcerias entre o Maranhão e províncias do Vietnã onde existam oportunidades para setores prioritários em comum, como é o caso da agricultura.

O embaixador Do Ba Khoa destacou a piscicultura e carcinicultura (produção em camarão em cativeiro) como atrativos para o Vietnã. “Vamos priorizar a agricultura com visitas ao campo, institutos e academias de pesquisas científicas. Além disso, é importante o intercâmbio do comércio. Organizar fórum de negócios entre Vietnã e Maranhão, com empresários vietnamitas e brasileiros, do mesmo setor”, sugeriu o diplomata ao destacar a presença de gestores do Governo do Maranhão e empresários maranhenses na Ásia.

“A participação do vice-governador nessas agendas transmite a segurança do Governo Flávio Dino em propor uma agenda de negócios com a Ásia. Nós conseguimos confirmar o interesse do Maranhão em negociar. Isso abre uma porta para o estado do Maranhão se posicionar e se firmar no mercado asiático, a partir do Vietnã”, pontuou Pierre Januário. Ele reforçou o avanço na atração de negócios de forma consistente com a finalidade de implantar empresas internacionais com parceiros locais no Maranhão.

Apoio da Coreia do Sul

Em reunião com o embaixador da Coreia do Sul no Brasil, Jeong Gawn Lee, a comitiva maranhense consolidou o apoio desse país à iniciativa do Governo do Estado.  “Na última visita que fizemos ao Maranhão, nós identificamos a possibilidade de uma participação coreana nas obras de infraestrutura, no estado. Acredito que se essa área for colocada na agenda, até como uma fonte de atrair investimentos coreanos para o Maranhão, os setores de aeroportos, portos e ferrovias podem ser um grande atrativo”, afirmou Lee.

O embaixador sul-coreano lembrou que existem discussões avançadas a respeito do livre comércio entre Brasil e Coreia do Sul, com destaque para o Tratado de Livre Comércio. “É um assunto de grande interesse para a Coreia do Sul”, complementou.

Na prática, a cooperação entre o Maranhão e a Coreia do Sul, apresenta possibilidades de crescer com a economia criativa e compartilhamento de melhores práticas estratégicas e políticas. Ganham também as pesquisas conjuntas entre instituições e empresas brasileiras e sul-coreanas, a comercialização tecnológica, dentre outros aspectos.

Dois momentos na China

Com o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, o tema em discussão foi a participação maranhense no próximo encontro dos BRICS. O entusiasmo com a abertura de novas janelas de comércio para o Maranhão tem como base dados concretos e possibilidades reais de concretizar parcerias.

Os BRICS são detentores de mais de 21% do PIB mundial, formando o grupo de países que mais crescem no planeta. Além disso, representam 42% da população mundial, 45% da força de trabalho e o maior poder de consumo do mundo.

Todas as ideias foram prontamente acatadas pelo embaixador chinês. “O aprofundamento das relações entre Maranhão e China é importante para o aprofundamento das cooperações entre eles. Desprenderemos todos os nossos esforços para apoiar e promover a cooperação entre as empresas chinesas e maranhenses. No que depender do governo chinês, esse encontro entre empresários será um sucesso”, garantiu o embaixador Jinzhang.

Todos os assuntos discutidos com os embaixadores foram apresentados pela comitiva do Maranhão ao ministro Aloysio Nunes, que não poupou elogios às investidas maranhenses na prospecção de novos investimentos para o estado.  “Cada vez mais arrojadas”, observou o ministro. Durante o encontro, os governos estadual e federal ajustaram as duas agendas – BRICS e Missão Ásia – e definiram a importância da participação do empresariado na Feira de Cantão, também conhecida como ‘Canton Fair’ realizada todos os anos na cidade de Guangzhou, na China.

Powered by WPeMatico