Upas na capital e interior realizam ações pelo Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais

Na UPA de São João dos Patos profissionais abordaram prevenção das hepatites

Nesta terça-feira, 28 de julho, é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. A data foi instituída pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e tem como objetivo atrair atenção para o tema. No Maranhão, com o tema “Sem perceber, você pode ter”, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) em São Luís e no interior do estado realizaram ações de informação e prevenção da doença.

Na UPA Araçagy, a enfermeira Camilla Durães, que integra o Núcleo de Educação Permanente (NEP) da unidade, ministrou uma palestra aos colaboradores da unidade a respeito da importância da detecção precoce da doença. A palestra aconteceu pequenos grupos de 10 pessoas no turno vespertino, para não atrapalhar o funcionamento da unidade, nem aglomerar. Os participantes receberam o lacinho amarelo que remete ao dia. A cor amarela advém de um dos sintomas das hepatites, que é a pele amarelada.

“A palestra é para enfatizar a importância do diagnóstico precoce e a prevenção das hepatites virais. Os profissionais de saúde precisam dessa conscientização, principalmente em relação à imunização. Assim eles podem atuar de forma mais segura no seu ambiente de trabalho”, explicou a enfermeira Camilla Durães.

A palestra abordou a forma de transmissão das hepatites virais, prevenção, tratamento e estatísticas. No Maranhão, entre 2007 e 2018, foram registrados  8.921 casos, segundo o Ministério da Saúde, sendo que a maior incidência é de Hepatite A com 4.116 casos, seguido por Hepatite B com 2.049 casos.

A enfermeira Camila Costa, que assistiu à palestra, declarou que tem sido muito importante essas capacitações continuadas. “Uma pessoa sozinha não consegue mover o mundo, mas se cada um fizer a sua parte e replicar a informação, vai fazer diferença. Nós levamos essas informações para a nossa família, para os salões de beleza e para os pacientes. Para onde vamos, sempre damos um jeito de propagar o conteúdo”, explicou.

A UPA de São João dos Patos também marcou a data. Os profissionais de saúde distribuíram aos pacientes e colaboradores preservativos, panfletos, e realizaram testes rápidos de detecção da doença. “Fizemos testagem com os profissionais de plantão e ainda esta semana vamos continuar com os testes. Realizamos uma palestra e abordamos com os funcionários, pacientes e acompanhantes em sala de espera, sobre a importância da imunização e prevenção. Essa ação foi muito proveitosa. Após a palestra, várias pessoas nos procuraram para tirar outras dúvidas“, esclareceu Leatrice Ribeiro do Carmo Porto, coordenadora de enfermagem da UPA de São João dos Patos.

SOBRE AS HEPATITES VIRAIS

É uma infecção que atinge o fígado, causando alterações pode ser de leves a graves. Algumas hepatites podem ser assintomáticas, mas quando os sintomas se manifestam incluem cansaço, febre, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, entre outros.

As hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D e o vírus da hepatite E.

A falta de diagnóstico e o não tratamento das hepatites podem comprometer o fígado sendo causa de fibrose ou cirrose, podem levar a um câncer, e ainda a necessidade de transplante do órgão.

A transmissão mais comum da Hepatite A é pela água e alimentos contaminados. Já as hepatites B e C podem ser transmitidas pelo contato com sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal e de mãe para filho (transmissão vertical).

O diagnóstico é feito por meio de exames laboratoriais e testes rápidos, que consistem na coleta de uma gota de sangue que é colocada num aparelho e com 15 a 20 minutos sai o resultado. As hepatites virais tem tratamento e está disponível no SUS.