Upa Itaqui-Bacanga recebe mais uma etapa do projeto Lean das UPAs 24h

A UPA Itaqui-Bacanga recebeu, nesta quarta-feira (15), a 5ª etapa do Projeto Lean. O objetivo é reduzir a superlotação nas urgências e emergências, no sentido de melhorar a gestão, racionalizando recursos e otimizando espaços e insumos. Serão nove etapas.

No total, 50 Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPAs) do Brasil participam do projeto, que utiliza a ferramenta de gestão ‘Lean Healthcare’. Na capital maranhense, o projeto está sendo desenvolvido nas UPAs Itaqui-Bacanga, Parque Vitória, Vinhais e Cidade Operária, todas gerenciadas pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

O projeto é uma iniciativa do Ministério da Saúde em parceria com a Universidade Federal Fluminense, executado pelo Instituto Brasileiro de Políticas Públicas (Ibrapp), com o nome de “Projeto de Reestruturação e Implantação da Humanização no Fluxo de Atendimento de Pacientes em UPAS-24 horas”, também conhecido como Lean das UPA 24h.

Nesta etapa, os consultores voltaram a UPA Itaqui-Bacanga para colher os resultados das boas práticas implantadas. O Lean teve início na unidade no dia 29 de maio deste ano. De acordo com o consultor do Ibrapp, Leonardo Azevedo , a metodologia tem sido muito eficiente na resolução de problemas como  serviços de urgência (Pronto Socorro) lotados; dificuldade de internação de pacientes; recusa de recebimento de ambulâncias; ausência de atendimento especializado; atendimento e lotação nos serviços de urgência de pacientes de baixo risco.

“Realizamos vários treinamentos semanais e voltamos hoje para verificar os resultados. De uma forma mais rápida e estratégica, a ferramenta do Projeto Lean permite otimizar o fluxo de atendimento, definir,  medir, analisar e implantar estratégias por meio da análise dos processos, enxugando e tirando desperdícios”, definiu Leonardo Azevedo.

Para ter acesso a esta capacitação, as unidades de saúde atendem a alguns critérios essenciais de elegibilidade, que consideram a estrutura, governança institucional e algumas características da emergência.

A especialista de Qualidade da Emserh, Tamires Barradas, está acompanhando todo o processo para garantir a uniformização dos procedimentos. “Acompanhamos para verificar quais as demandas da unidade, quais são as dificuldades de aquisição de materiais, mudanças necessárias, padronização dos procedimentos, estratégicas de melhorias para não haver disparidades entre as UPAs”, explicou.

A enfermeira e consultora técnica Sarah Leite explica que o projeto permite ainda uma visão mais assistencial da unidade. “É mais uma análise técnica, se o fluxo de atendimento é eficiente de acordo com as cores de urgência, se tem humanização, se a unidade precisa de material novo, se o que tem está desgastado, tempo de atendimento e se os recursos humanos estão adequados”, ressaltou.

Para a diretora administrativa da unidade, Alzira Izabel Carvalho Brito, com o projeto Lean, já foi possível perceber melhorias no fluxo de atendimento, com mais qualidade e humanização. “Tem sido muito promissora essa capacitação. Tem feito total diferença na organização dos setores e na mudança de visão dos funcionários em relação ao atendimento na UPA.  Já conquistamos resultados objetivos no fluxo de atendimento, acúmulo de estoque e manipulação de medicamentos”, destacou.

A visita foi acompanhada também pelo diretor clínico da UPA Itaqui-Bacanga. “Essa parceria do Lean com a nossa unidade tem sido fundamental. Estamos trabalhando para melhorar a qualidade do atendimento dos nossos usuários”, finalizou Cláudio Revil.