Serviço especializado para pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo terá assistência ampliada

O Serviço especializado para pessoas com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), oferecido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) no Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde do Olho d’Água (CER Olho d’Água), ampliará a assistência aos pacientes com TEA. O atendimento será em breve transferido para um anexo, uma casa também no Olho d’Água que está sendo adaptada para atender às necessidades do serviço.

“Somos pioneiros em oferecer atendimento com abordagem baseada na análise do comportamento aplicado (ABA) através do SUS no Brasil. Com a nova estrutura, teremos condições de qualificar, ainda, mais esse atendimento. O espaço amplo vai proporcionar novas experiências”, comentou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula.

Atualmente, o Serviço especializado para pessoas com TEA atende quase 100 crianças com idade até 12 anos. São duas modalidades: o serviço intensivo, as crianças sendo atendidas cinco vezes na semana; e o semi-intensivo, quando são atendidas duas vezes por semana e uma vez por semana os pais ou responsáveis recebem orientações.

Segundo a coordenadora do serviço, Flávia Teresa Neves, a nova estrutura vai garantir mais conforto a pacientes, familiares e servidores, assim como vai permitir agregar novos elementos à terapia. “Conseguiremos trabalhar com várias habilidades. Com uma cozinha montada ou um quarto, por exemplo, vou conseguir trabalhar habilidades em um contexto funcional, de vida prática. O foco será tanto os comportamentos verbais, como a vida funcional. Poderemos ajustar nosso currículo e variar mais nosso repertório”, explicou.

Adaptações

O imóvel que abrigará o serviço está localizado na Alameda Mearim, 200, bairro Olho d’Água, e está em fase de adaptação. O local recebe obras para garantir a mobilidade e segurança dos pacientes. A área total do terreno é de 5.304m².

Após finalizadas os ajustes, o serviço disporá de consultórios, sala de triagem, salas de grupos terapêuticos, sala de avaliação e acompanhamento familiar, sala multidisciplinar, salas de terapia, administração, recepção, copa, arquivo, banheiros adaptados, almoxarifado, refeitórios, vestiários e auditório, Depósito de Materiais de Limpeza (DML) e lixeira.

A opção por alugar o imóvel, cujo contrato tem duração de 36 meses, reduzirá a espera dos pacientes por mais conforto e por novas oportunidades terapêuticas. Porém, conforme o contrato, as benfeitorias necessárias que forem realizadas serão descontadas no valor do aluguel ou restituída pelo locador no mês subsequente ao termino das obras.

Fonte: SES