Rede de assistência para casos suspeitos de Covid-19 em Timon contabiliza 10 mil atendimentos

A rede de assistência a casos suspeitos de Covid-19 em Timon já contabiliza mais de 10 mil atendimentos. Fazem parte da rede a Tenda de Triagem para casos suspeitos, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o hospital de campanha do município e, para casos que precisem de internação e leitos de UTI, o Hospital Regional Alarico Pacheco. O atendimento nas unidades e equipamentos de saúde foi organizado pela Secretaria de Estado da Saúde de modo a oferecer o suporte necessário aos pacientes no enfrentamento à Covid-19.

“O Governo do Estado vem trabalhando no enfrentamento à Covid-19 com responsabilidade e compromisso, realizando os investimentos necessários para que o maior número de vidas sejam salvas. Em Timon, não poderíamos agir de outra maneira; reforçamos o atendimento e contamos com o apoio do município no fortalecimento dessa rede de assistência criada na cidade”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.  

No enfrentamento à Covid-19, o Hospital Regional Alarico Pacheco já contabiliza 222 internações, sendo 66 em UTI, 156 em Enfermaria. De acordo com o diretor clínico do hospital, Candilberto Filho, a unidade foi transformada em uma referência de alta complexidade para assistência a casos graves da Covid-19 na região. “Quando o coronavírus chegou à cidade, a equipe já estava muito bem atualizada. Graças ao esforço do Governo do Estado, com os ajustes necessários, o hospital pode realizar o enfrentamento da Covid-19”, destacou. 

Atualmente, o Hospital Regional de Timon conta com 92 leitos no total. Destes, 40 leitos são exclusivos para Covid-19, sendo 20 Clínicos e mais 20 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Os outros 52 foram destinados para o tratamento de outras patologias, nas especialidades de urologia, obstetrícia, cirurgia geral e pediatria. Durante o período de 5 de maio a 17 de julho, a unidade tratou de 181 pacientes confirmados, além de outros 30 suspeitos, recuperando outros 116. 

A dona de casa Rita de Cássia da Silva Rodrigues, 57 anos, foi a primeira paciente de Covid-19 recuperada na unidade. Segundo ela, o primeiro atendimento foi no dia 7 de maio, em uma unidade de saúde de Teresina, onde foi constatado que estava com 50% do pulmão comprometido. “Eu não sentia mais gosto nem cheiro, e no dia seguinte comecei a sentir falta de ar quando decidi procurar ajuda. No mesmo dia fui transferida de volta para um hospital municipal em Timon, para depois ser internada em uma UTI do Alarico Pacheco”, contou Rita. 

Rede de Assistência

Para dar apoio ao trabalho realizado pelo Hospital Regional de Timon, o Governo do Estado estabeleceu uma parceria com a Prefeitura no intuito de somar esforços no combate à doença. Estruturalmente, foi montada uma tenda destinada a triagem dos casos leves, moderados e graves. No local é oferecido aferição de sinais vitais e consultórios médicos. Os casos classificados como leves já deixavam o local com medicação seguindo protocolo estabelecido no município.

Além da tenda, também foi montado um Hospital de Campanha, que funciona em uma escola municipal e possui quatro salas de observação, com 16 leitos clínicos, para atendimento aos casos moderados. Esse mapa de suporte foi pensado para assistir uma população de 270 mil habitantes, englobando os municípios de Timon, São Francisco do Maranhão, Parnarama e Matões.

FONTE: SES/MA