Palestras e oficinas reforçam campanha ‘Outubro Rosa’ no Hospital do Câncer

outubro rosa hops cancerDurante todo este mês de outubro, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), tem realizado uma extensa programação voltada para prevenção do câncer de mama. Na manhã desta terça-feira (11), colaboradores e acompanhantes de pacientes em tratamento no Hospital de Câncer Dr. Tarquínio Lopes Filho (HCTLF), participaram de palestra e ‘Oficina de Origami’, realizada pelo grupo ‘Meditar’, que desenvolve semanalmente no hospital, o projeto ‘Escolha a Calma’.

A palestra ‘Tratamento do Câncer de Mama’, foi ministrada pelo oncologista clínico, Dr. Ronald Coelho, gerente de quimioterapia do HCTLF.  Um levantamento baseado no registro de atendimentos do Hospital de Câncer nos últimos 12 meses, aponta que 25% dos tratamentos realizados são de câncer de mama, 26% de câncer de próstata, 29% hematológicos e 21% de outros tipos. Segundo ele, no Maranhão, a SES possibilita um tipo de tratamento específico para o câncer de mama que não é oferecido em outros estados.

“Uma mulher com câncer de mama metastático tratada com quimioterapia convencional, como é feita em Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, dentre outros, tem ao final de 24 meses de vida, 95% a menos de chance de sobreviver, comparada com a que é tratada no Maranhão”, disse o especialista. Os dados representam que, no estado, o tratamento do câncer de mama é mais eficaz devido à terapia não convencional que é oferecida.

“O poder público estadual disponibiliza o mesmo tratamento que a iniciativa privada oferece. Isso é baseado no protocolo do Hospital de Câncer. Preenchendo os critérios para esse protocolo, toda mulher referenciada para a unidade, tem acesso a essa terapia que representa um aumento significativo de sua expectativa de vida”, ressaltou o Dr. Ronald Coelho.

Prevenção

A indicação do Ministério da Saúde (MS), é que pelo menos uma vez por ano, as mulheres acima de 40 anos, façam um check-up com médico, para ser solicitada a mamografia e demais exames necessários.

As chances de cura da doença são variáveis. Desde 1990 até o ano de 2015, as mortes por câncer de mama diminuíram quase 10%. “Mesmo que o número total de câncer de mama esteja aumentando, os números de óbito diminuíram porque os tratamentos estão melhorando, os diagnósticos estão sendo feito em fases iniciais, tem se investido em unidade de referência para tratamento e as mulheres estão mais atentas. Tudo isso possibilita uma maior chance de cura”, pontuou o oncologista.

Oficina

A programação do ‘Outubro Rosa’ na unidade, aproveitou também para oportunizar aos profissionais e acompanhantes, um momento de meditação e concentração para aqueles que convivem diariamente com a realidade da doença. Em uma ‘Oficina de Origami’, com a especialista em origamis, Lúcia Lobato, eles puderam descontrair e refletir sobre a paciência, como explica a coordenadora do grupo Meditar, Evaldina Fernandes.

“Além da meditação com os colaboradores, pacientes e acompanhantes, desenvolvemos a campanha ‘Escolha a Calma’, trazendo para dentro do hospital valores para melhorar os relacionamentos e pensamentos. Durante o mês de outubro, estamos trabalhando a paciência. Com o origami, que é a arte da dobradura, conseguimos trabalhar aspectos de concentração, meditação e paciência”, explicou.

De acordo com a especialista, esses momentos contribuem para o relaxamento, além de desenvolver a paciência para lidar com o tratamento da doença. “Existe essa conexão da paciência para aceitar as limitações de uma doença como o câncer. Por isso, é importante desenvolver esse equilíbrio e trabalhá-lo rotineiramente, pois a meditação possibilita, inclusive, sentir menos efeitos colaterais causados pela quimioterapia”, garantiu Evaldina Fernandes.