Nova campanha nacional tenta reforçar estoque dos Hemocentros no Brasil

Em comemoração ao Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado no domingo, 25 de novembro, o Ministério da Saúde promove esta semana em todo o país uma nova campanha de incentivo à doação de sangue. No Maranhão o estoque de sangue e hemoderivados do Centro de Hemoterapia e Hematologia (Hemomar) encontra-se em estado crítico, abaixo do nível mínimo para atender as necessidades.

De acordo com dados do setor de captação do Hemomar, todos os tipos de sangue fator RH negativo estão com estoque critico no hemocentro, assim como o sangue dos tipos A positivo e B positivo. Considera-se estoque critico quando a quantidade de bolsas de hemocomponentes de determinado tipo de sangue está abaixo do mínimo necessário para atendimento da demanda. Apenas os estoques de sangue tipo O positivo e AB positivo estão dentro da normalidade, segundo o Hemomar.

Unidade móvel de coleta do Hemomar Foto: divulgação

Para atender à demanda por sangue de toda a rede de saúde, o Hemomar precisaria coletar, por dia, entre 280 a 300 bolsas de sangue. Hoje, a média diária de coleta no hemocentro maranhense é de 180 bolsas. Para o presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), empresa gestora do Hemomar, o baixo estoque é um reflexo da falta de hábito da maioria das pessoas em doar sangue regularmente. “Costuma-se doar sangue no Brasil apenas quando um parente ou amigo encontra-se em uma situação de emergência”, comenta Vanderley Ramos, “Precisamos criar uma cultura permanente da doação para fortalecer o banco de sangue dos hemocentros públicos, usado rotineiramente por todos os hospitais, sejam públicos ou privados”, sugere o presidente da EMSERH.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3% a 5% do total da população. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, as doações regulares de sangue não chegam a 2%, índice muito abaixo do recomendado pela OMS e insuficiente para atender a enorme demanda gerada em todo o país. Estima-se que 32% das doações são motivadas por familiares e amigos de pessoas hospitalizadas.

Apesar dos avanços na Medicina, a Ciência ainda não descobriu uma forma de substituir o sangue humano. A coleta de sangue de doadores continua a ser essencial para a manutenção das cirurgias de urgências e eletivas, além de ser de vital importância para tratar feridos em situações de emergência ou calamidades. Pessoas que se submetem a tratamentos planejados e intervenções médicas urgentes de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes e procedimentos oncológicos, também dependem, e muito, do ato solidário da doação de sangue.

Cada doação pode salvar até 4 vidas

Uma pessoa adulta tem, em média, cinco litros de sangue circulando pelo corpo. Em cada doação o máximo de sangue retirado é de 450 ml. Depois de coletado, o sangue é dividido em quatro componentes: Concentrado de Hemácias (CH), Concentrado de Plaquetas (CP), Plasma Fresco Congelado (PFC) e Crioprecipitado (CRIO), que podem ser utilizados como produto terapêutico em até quatro pacientes diferentes. “Poucos sabem, mas, uma simples e única bolsa de sangue coletado pode salvar a vida de até quatro pessoas”, explica Maria do Socorro Oliveira, coordenadora do setor de captação do Hemomar.

O procedimento para doação de sangue é simples, rápido e totalmente seguro. Não há riscos para o doador, porque nenhum material usado na coleta do sangue é reutilizado, o que elimina qualquer possibilidade de contaminação. “Todo sangue coletado é testado e só é liberado para uso após comprovada sua segurança”, reforça Socorro Oliveira.

Onde e como doar

Em São Luís, os interessados podem se dirigir a sede do Hemomar, localizada na Rua Cinco de Janeiro, s/n, bairro da Jordôa. A unidade funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 12h. No interior do estado, as doações de sangue podem ser feitas nos sete núcleos de hemoterapia existentes nas cidades de Imperatriz, Balsas, Santa Inês, Caxias, Pedreiras, Pinheiro e Codó.

 Requisitos para doação de sangue

Ter idade entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal);
Pesar no mínimo 50 kg;
Estar alimentado. Evite alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação.
Caso seja após o almoço, aguardar 2 horas;
Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
Apresentar documento de identificação com fotografia, emitido por órgão oficial. (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho, Passaporte, Registro Nacional de Estrangeiro, Certificado de Reservista ou Carteira Profissional emitida por classe);
Para os menores de 18 anos, é necessário o consentimento dos responsáveis e, entre 60 e 69 anos, a pessoa só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos;
A frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.

 

Fonte: Comunicação e Marketing/EMSERH