Ministério da Saúde lança nova campanha de combate ao Aedes aegypti

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lança a nova campanha publicitária de Combate ao mosquito Aedes aegypti.

Para mobilizar a população e garantir que não apareça novos focos do Aedes aegypti, o Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira, 12, a nova campanha publicitária nacional de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Com o slogan “E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa por você”, a campanha reforça a necessidade de cada um tomar a iniciativa de proteger a sua casa e de seus familiares contra o Aedes aegypti.

O objetivo principal da campanha é conscientizar os gestores estaduais e municipais de saúde e toda a sociedade sobre a importância de se organizarem antes da chegada do período chuvoso no combate ao surgimento de novos criadouros do mosquito.

“Ao invés de lançar a campanha no mês de novembro, como era feito nos outros anos, nós antecipamos para setembro para dar tempo, antes do período da chuva, para as pessoas e os gestores locais organizarem grandes mutirões de combate ao mosquito e não esperar depois que o ciclo da doença já está instalado para começar a agir”, destacou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa de lançamento da campanha publicitária realizada nesta quinta-feira, em Brasília.

Dados da incidência

Este ano (até 24 de agosto), foram registrados 1.439.471 de casos de dengue em todo o país, com crescimento de 599,5% em relação ao mesmo período de 2018 (205.791). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 690,4 casos/100 mil habitantes. Os estados com maior registro de casos são Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Os casos da febre chikungunya chegaram a 110.627 em relação ao mesmo período do ano passado, 76.742, ou seja 44,2% de aumento este ano. A taxa de incidência foi de 53,1 casos/100 mil habitantes. Entre os estados com casos, destacam-se Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte. 


Já os casos de zika apresentaram aumento de 47,1%, este ano, quando foram registrados 9.813 casos, enquanto em 2018 foram 6.669 o que representa uma taxa de incidência de 4,7 casos/100 mil habitantes. Entre os estados com casos, destacam-se Tocantins, Rio Grande do Norte, Alagoas e Espírito Santo.

Fonte: Comunicação Ministério da Saúde