Hospital Regional Materno Infantil, em Imperatriz, inicia a Semana Mundial de Amamentação, da Campanha Agosto Dourado

No Hospital Regional Materno Infantil (HRMI), em Imperatriz, a experiência vem de casa. Nutricionista, consultora em aleitamento e também coordenadora do Banco de Leite do município, Fabiana Galeno fala com propriedade sobre o assunto. Ela amamenta agora o quinto filho. Vítor Gabriel Leão Galeno Vieira nasceu há 45 dias. “Meu bebê está em aleitamento materno exclusivo, sem uso de mamadeira ou chupeta”, comemorou.

O tema é destaque esta semana, quando se comemora a Semana Mundial de Amamentação. O tema em 2020 é “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável”. Em Imperatriz, a abertura oficial ocorreu nesta segunda-feira (3). Uma faixa foi colocada na fachada do hospital com o sub-tema “Por um Maranhão mais saudável”. Os pacientes do hospital e colaboradores receberam laços dourados (a cor simboliza que a amamentação é o padrão ouro para a alimentação infantil) e informações sobre o tema.

A semana faz parte das ações do Agosto Dourado – uma campanha realizada dedicada ao aleitamento materno no Brasil. Durante o mês, haverá campanha de arrecadação de frascos, divulgação de vídeos e relatos de mães doadoras de leite humano.

Não há dúvidas que o aleitamento é fundamental, desde a sala de parto, exclusivo e em livre demanda até o 6º mês e estendido até 2 anos ou mais. Benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê.

Fabiana Galeno Teixeira, coordenadora do Banco de Leite de Imperatriz, ligado ao Hospital Materno, explica que o tema da campanha este ano trouxe a constatação de que os benefícios do aleitamento são estendidos ao planeta em geral, além de mãe e bebê. Aborda o impacto da alimentação infantil no meio ambiente, nas mudanças climáticas e na necessidade urgente de proteger, promover e apoiar o aleitamento materno para a saúde do planeta.

 “Temos um grande desejo de melhorar a qualidade de vida das crianças, através dos bancos de leite. A campanha enfatiza que a amamentação oferece os nutrientes necessários para que os bebês sobrevivam e se desenvolvam da melhor forma possível. Estamos aqui para desmistificar e empoderar essas mulheres, que elas podem e conseguem sim amamentar mesmo com dificuldades. É uma questão de ajustes no processo da pega, posição do bebê, a forma como ele abocanha a mama e até mesmo questões emocionais”, frisou a coordenadora do Banco de Leite, Fabiana Galeno Teixeira.

BANCO DE LEITE

O Banco de Leite de Imperatriz foi implantado em novembro de 2001, no município de Imperatriz. É ligado ao Hospital Regional Materno Infantil, que integra a rede pública de Estado da Saúde e é administrado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

É responsável pela promoção e incentivo ao aleitamento materno, assim como execução da coleta, processamento e controle de qualidade do colostro, leite de transição e leite humano maduro, para posterior distribuição, sob prescrição médica ou de nutricionista.

O Banco de Leite de Imperatriz não possui um número certo de doadoras cadastradas. A necessidade média é de 180 litros de leite por mês para atender a demanda. Um litro de leite chega a alimentar até 10 bebês.