Hospital de Campanha de Açailândia contabiliza assistência a mais de 120 pacientes

Hospital de Campanha de Açailândia

Inaugurado em 16 de maio, o Hospital de Campanha de Açailândia já realizou 125 atendimentos. A estrutura do equipamento de saúde é resultado da parceria entre o Governo do Estado e a empresa Vale. O hospital conta com 60 leitos, sendo 53 de enfermaria e sete de UTI e faz parte da rede de saúde criada para tratar exclusivamente de casos da Covid-19. 

“O hospital é sinônimo de esperança à população dos municípios localizados na região de Açailândia. Trata-se de uma estrutura construída e equipada em 26 dias e que conta com toda assistência necessária, com internação, dispensação de medicamentos e também translado de pacientes com duas ambulâncias de plantão, ambas equipadas com estrutura de UTI”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula. 

De acordo com o presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), Marcos Grande, atualmente 35 pacientes estão internados na enfermaria e cinco estão nos leitos de UTI. “Hoje a ocupação está em torno de 70%, e a gente considera que foi um grande acerto essa parceria da Vale com o Governo do Estado para completar a capacidade instalada de leitos na Região Tocantina”, destacou. 

Segundo o gerente da Vale em Açailândia, Pedro Aderson, o hospital veio para ajudar todas as pessoas que por ventura precisarem das instalações. “No momento em que a humanidade vive uma grande dificuldade em relação à pandemia, é um privilégio termos aqui no município de Açailândia um hospital de campanha de referência contra a Covid-19. Com a unidade oportunizamos o mínimo de conforto e tranquilidade para as pessoas que estão aqui na região”, pontuou. 

A localização do equipamento é estratégica porque complementa a assistência ofertada aos mais de 43 municípios atendidos pelo Hospital Macrorregional Drª Ruth Noleto, em Imperatriz. Para garantir um atendimento dinâmico e que salve a vida dos pacientes, mais de 200 profissionais trabalham unidade entre eles auxiliares de Serviços Gerais, assistentes sociais, enfermeiros, médicos, além de farmacêuticos, fisioterapeutas, maqueiros, nutricionistas e psicólogos.