Hospital Aquiles Lisboa oferece serviço de podologia para pacientes com hanseníase e diabetes

Pacientes com diabetes e hanseníase tem atendimento em podologia (Foto: Rogério Sousa)

Com o serviço de podologia, o Hospital Aquiles Lisboa (HAL), da rede da Secretaria de Estado de Saúde (SES), amplia os cuidados ambulatoriais com o tratamento de pacientes com hanseníase. Se não for tratada, a doença pode causar lesões na pele, úlceras crônicas na sola dos pés, dentre outros sinais e sintomas.

O diretor administrativo do Hospital Aquiles Lisboa, Raul Fagner, destacou que o atendimento em podologia foi instalado em razão do programa de hanseníase. Atualmente, o serviço foi ampliado para o tratamento de pacientes diabéticos. “Além dos pacientes atendidos pelo programa de hanseníase, assistimos ainda os diagnosticados com diabetes e os encaminhados para receber atendimento na unidade médica”, disse.

O serviço de podologia registrou 1.773 pacientes assistidos e 6.308 procedimentos realizados. Os dados são de maio de 2018 a março de 2019. Os pacientes atendidos no serviço de podologia do HAL passam, inicialmente, pelos setores de triagem, enfermagem e dermatoneurológica do setor de Terapia Ocupacional. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. Em média, 10 pacientes são atendidos diariamente no serviço.

Segundo a podóloga do HAL, Claudete Santos Teixeira, o serviço recebe pacientes com lesões. Na ocasião, os procedimentos iniciais são de limpeza e raspagem. Após a etapa de higienização, adota o tratamento de fissuras e micoses nos pés dos pacientes. “Alguns pacientes apresentam os três tipos de fungos existentes, que são o plantar [na palma dos pés], rachaduras [calcanhar] e distal [quando é sob as unhas dos dedos do pé]”, explicou a podóloga.

Hanseníase 

O diagnóstico de caso de hanseníase é clínico e epidemiológico, realizado por meio do exame geral e dermatoneurólogico para identificar lesões ou áreas de pele com alteração de sensibilidade e/ou comprometimento de nervos periféricos, com alterações sensitivas e/ou motoras e/ou autonômicas.

A hanseníase tem tratamento e cura, porém pode causar incapacidades físicas se o diagnóstico for feito tardiamente ou se o tratamento não for feito de forma adequada.