Hemomar reforma unidade móvel e promove coleta externa no Centro de São Luís

28180_img_3593emserh_9922416643053095

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar) disponibilizou à população, nesta quinta-feira (18), o ônibus para coleta externa em São Luís. O veículo foi recuperado e reformado, ganhando novos equipamentos e adequando-se às mudanças sanitárias e de segurança. Para incentivar a doação, a unidade móvel fica ao lado da Biblioteca Pública Benedito Leite até esta sexta-feira (19), das 8h às 18h.

O secretário adjunto de Assistência à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Carlos Vinícius Ribeiro, acompanhou a ação nesta quinta-feira. “A ideia é levar esse ônibus para mais perto do doador. Estamos precisando muito de novas doações. O estoque está baixo. Desde o início da pandemia, os estoques caíram criticamente, e nós estamos criando estratégias para chamar doadores novos e atrair aquelas pessoas que já doam para voltarem a doar”, disse.

São cerca de 10 profissionais de saúde para o manuseio do sangue. O ônibus é equipado com toda a estrutura necessária para a doação segura de sangue, como setor de triagem, consultórios, cadeiras de doação, lanchonete e espaço de recuperação. A doação de sangue é um processo simples, seguro e rápido, podendo demorar até 15 minutos. Uma bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas.

28180_img_3552emserh_1130882281212791256

“A nossa unidade móvel comporta quatro cadeiras de coleta. Vamos ficar até esta sexta com toda estrutura, coletando doações para ajudar nas nossas unidades no Estado. Tivemos uma queda muito grande durante todo o ano de 2020 e agora no início de 2021. Todos os nossos estoques estão em estado crítico devido a pandemia. Então, essa ação é de motivação para atrair esse doador que muitas vezes não consegue se deslocar até o Hemomar. Na unidade móvel, é possível fazer essa doação com tranquilidade”, explicou a diretora geral do Hemomar, Clícia Romênia Galvão.

Raíssa Silva Araújo, de 24 anos, foi a primeira doadora voluntária da unidade móvel reformada. Ela desceu do coletivo na Praça Deodoro, avistou o ônibus do Hemomar e não pensou duas vezes.

“Eu estava a caminho do meu serviço, quando avistei o ônibus e me informei do que se tratava. Perguntei como eu fazia para doar sangue. É a minha primeira vez. Eu decidi porque eu sei que salva vidas, muita gente precisa disso. Eu também tenho um sobrinho que tem anemia falciforme. Um dia ele vai precisar de sangue. Talvez não o meu sangue, mas o de outras pessoas pode vir a salvar a vida dele. Então, também pensando nisso, o que eu puder fazer pelo meu próximo eu vou fazer”, afirmou.

Kellen Cristine Santos tem 27 anos e também doou sangue pela primeira vez. “Eu sempre quis doar sangue. Tentei no ano passado, mas como eu tinha piercing na língua, tirei e esperei um ano. Ontem vi no jornal que haveria essa doação externa e, como tem pouca gente doando, eu resolvi vir, eu tenho como doar, sou saudável, quero ajudar as pessoas”, explicou Kellen.

Quase todos os tipos sanguíneos estão em falta nos hemonúcleos, principalmente por causa da pandemia do coronavírus. Para garantir a segurança dos doadores, todos os protocolos de segurança estão sendo cumpridos à risca. 

“Estamos liberando essa unidade móvel, que foi requalificada, garantindo segurança para os doadores. Fizemos algumas adequações para melhorar o espaçamento interno e, assim, a segurança para todo mundo. Temos uma agenda programada de coleta externa para esse ônibus, para acelerar a retomada nos níveis. As pessoas vão ver o ônibus pela cidade e isso vai estimular muita gente a doar”, complementou Will Mesquita, diretor administrativo da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

Aproximadamente 15 colaboradores da EMSERH, que administra o Hemomar, também se deslocaram até a unidade móvel para doar sangue. Os requisitos básicos para doação são: estar saudável, ter peso acima de 50 kg, apresentar documento com foto válido em todo o território nacional, ter entre 16 e 60 anos, dentre outros requisitos avaliados durante a triagem.