Hemomar recebe mais uma vez Sangue de Heróis da EMSERH

Maria Nazaré Oliveira Costa doou sangue pela primeira vez

A analista de compras Maria Nazaré Oliveira Costa chegou cedo à Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), como faz todos os dias, mas, nesta quarta-feira (5), ela não subiu para dar início a mais um dia de trabalho. Ao lado de outros 12 colegas, entrou em uma van e se dirigiu ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), na Jordoa, para doar um pouco do seu sangue de tipo raro, O negativo, e, assim, ajudar a salvar vidas.

O receio inicial deu lugar a uma profunda emoção ao perceber que, em apenas 6 minutos, 450 ml do seu sangue já estavam em uma bolsa para ser destinada a alguém que precisa do líquido para continuar vivendo.

“Eu gostei bastante, me emocionei no primeiro momento, tive medo, mas foi muito tranquilo. Fui muito bem tratada, a colaboradora conversou comigo para que eu relaxasse. Eu sei a importância do meu sangue, de todos os sangues, mas o O negativo é um sangue mais difícil. Minha coleta demorou apenas 6 minutos, foi muito rápido. Então, eu posso dizer para as outras pessoas que venham, não tenham medo porque é bom saber que você está colaborando para salvar vidas, isso te deixa muito mais feliz”, afirmou a analista de compras.

E foi assim que Maria Nazaré Costa passou a integrar o Sangue de Heróis, projeto realizado pela EMSERH desde o ano passado, para estimular os colaboradores da Empresa a contribuir com os estoques de sangue do Hemomar. “Faz parte da política tanto da EMSERH quanto da Secretaria de Estado da Saúde essa mobilização das equipes para doar sangue, principalmente nesse período de Carnaval, onde tantas pessoas vão precisar, então a gente mobiliza as pessoas que podem doar a fazer essa doação e ajudar outras pessoas”, destacou o diretor de Recursos Humanos da EMSERH, Valonni Arthuro.

Doadora mais experiente, a enfermeira do trabalho Talita Portela fez isso pela primeira vez ao lado de colegas da empresa. Para ela, ter acompanhado de perto pacientes que precisam do sangue doado para sobreviver é um estímulo ainda maior. “Eu já trabalhei bastante na assistência e eu vi como realmente os pacientes precisam. As unidades de saúde precisavam das doações, e, por muitas vezes, não tinham. Então, procedimentos são cancelados e pessoas ficam mais tempo internadas. Se eu posso ajudar o próximo, por que não fazer isso?”, indagou.

E se teve alguém que também exibiu contentamento foi a assistente social do Hemomar Ana Penha. Acostumada a lamentar quando funcionários retornam para as unidades de saúde sem o sangue tão aguardado por pacientes, familiares e médicos, na manhã desta quarta-feira ela ficou feliz ao receber o grupo de funcionários da EMSERH.

“A gente apela para as empresas, igrejas, que venham fazer essa doação em grupo. O agendamento pode ser feito pelo telefone 3216-1134, que é do Serviço Social, no qual a pessoa vai dizer a quantidade de pessoas para a gente ter um controle, por conta dos funcionários e por conta dos lanches. Só para manter uma organização porque todos são bem-vindos a qualquer momento, a qualquer hora”, afirmou.

Ana Penha reforçou a necessidade das doações por conta do baixo estoque, que atualmente é de apenas 50 bolsas, quando o ideal é de 400 bolsas diárias. Por causa desse volume reduzido, a EMSERH resolveu antecipar a Campanha de Doação para o período carnavalesco.

Para fazer a doação, é preciso estar bem de saúde, pesar acima de 50 quilos, ter entre 16 e 69 anos, estar bem alimentado, não ter ingerido bebida alcoólica no dia anterior, ter dormido bem nas 24 horas anteriores à doação e estar com um documento de identidade com foto atualizada. “Nós não temos nada que consiga substituir o sangue humano, então a gente precisa que as pessoas pensem nisso com carinho, com amor, e venham fazer a sua doação”, reforçou.