Governo vistoria serviços no Hospital Regional de Morros

Foto de Francisco Campos (46)

O Governo do Maranhão vistoriou os serviços oferecidos no Hospital Regional de Morros (HRM). A avaliação do trabalho e da estrutura da unidade foi conduzida pelo secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, acompanhado da subsecretária de Estado da Saúde, Karla Trindade. A iniciativa representa o compromisso do Governo do Maranhão com a gestão da saúde e o constante acompanhamento do trabalho da rede.

O hospital, que é referência para cerca de 225 mil pessoas, encontra-se sob a tutela do Estado, sendo administrado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh). “O Hospital Regional de Morros funciona acima das expectativas e atende a região inteira. Existem alguns pontos que podem ser melhorados, a exemplo da climatização. O nosso objetivo é climatizar toda unidade hospitalar, ofertando mais conforto e humanização para o acolhimento do paciente”, destacou o secretário de Saúde, Carlos Lula.

O HRM é composto por nove médicos, oito enfermeiros, 33 técnicos de enfermagem, três assistentes sociais e um nutricionista. O hospital atende aproximadamente 110 pacientes por dia. De janeiro a maio deste ano, o HRM já realizou 74.402 mil atendimentos, distribuídos entre todos os serviços oferecidos. O hospital de 20 leitos possui Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Clínica Obstétrica e Clínica Pediátrica, além de Serviços de Pronto Atendimento (SPA), Internação Hospitalar e Serviço de Apoio Diagnóstico e Tratamento (SADT).

Assistência à gestante
O hospital tem se destacado no atendimento de pacientes dos municípios de Morros, Rosário, Icatu, Bacabeira, Primeira Cruz, Santa Rita, Santo Amaro, Cachoeira Grande, Axixá, Presidente Juscelino e Humberto de Campos. No último sábado (9), o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula entregou os primeiros kits do Programa Ninar, Bolsa Pequeno Maranhense, para três mães e seus respectivos filhos, que nasceram na última semana.

O programa, implantado no Hospital Regional de Morros, fortalece a importância do pré-natal na atenção básica. Outra medida é o reforço das orientações voltadas para saúde da mãe e do bebê, nas etapas da gravidez ao pós-parto. Durante a entrega dos kits, o gestor ressaltou o papel do fortalecimento da rede de cuidados materno-infantil e o estímulo ao pré-natal, tendo em vista o atrelamento do kit ao cumprimento das consultas de pré-natal, o que permite a redução dos riscos à vida da mãe e do bebê. A bolsa do programa reúne fraldas, termômetros, álcool 70%, pacote com gazes e cartilha informativa.

Cleuma Castro, de 32 anos, mãe da recém-nascida Emanuele, recebeu a bolsa e orientações dos profissionais de saúde. “Vou redobrar os cuidados com a minha filha. Já sei que o álcool gel 70% evita infecções no umbigo do bebê”, disse. Segundo o coordenador de enfermagem do HRM, Paulo Vinicius Coelho Silva, os kits do Programa Ninar são entregues após o nascimento do bebê. “O programa promove assistência à gestante, estabelecendo, pelo menos, sete consultas no pré-natal, assim como exames básicos, evitando, assim, a transmissão da sífilis e o do HIV. O kit é entregue no alojamento conjunto do hospital, local em que mãe e filho são recebidos pós-nascimento. É também o momento em que a equipe detalha o conteúdo e a importância de cada um dos itens da bolsa”, explicou o enfermeiro.
O Programa foi lançado pelo governador Flávio Dino no Dia das Mães, em ação simultânea na Maternidade Benedito Leite, em São Luís, e no Hospital Regional de Imperatriz.

Atendimentos

O Hospital Regional de Morros dispõe ainda de consultas com observação, de enfermagem e com o serviço social, além de análises clínicas e diagnóstico por imagem envolvendo Raio-X e eletrocardiograma. Segundo a diretora administrativa do hospital, Ana Gabriela Carvalho, dentre as maiores demandas da unidade estão os procedimentos cirúrgicos. Este ano, foram realizadas 396 cirurgias, dentre as quais 156 cirurgias de hérnia, 100 histerectomias, 45 ooforectomias, 36 salpingectomias, 25 perineoplastias, 6 apendicectomias, 9 nódulos mamários, 8 colecistectomias, e 11 postectomias.

A histerectomia é a remoção cirúrgica do útero e consiste em uma das principais demandas do hospital. O procedimento pode ser usado como medida preventiva ou como recurso para amenizar os avanços no câncer de colo de útero e pode ser utilizada também no tratamento de problemas como mioma uterino, dor pélvica, sangramento uterino anormal, endometriose e deslocamento uterino.

A paciente Maria Socorro Silva, de 42 anos, foi uma das que precisou passar pelo procedimento. “Moro em Humberto de Campos, é bem perto. Por isso, não foi difícil chegar ao hospital e começar o processo de exames para fazer a cirurgia recomendada, no meu caso, para o tratamento de um mioma. É muito bom poder contar com o hospital aqui perto e ter certeza que conseguiremos ser bem atendidos”, contou a dona de casa.