Governo oferece assistência humanizada para gestantes, bebês e puérperas na Maternidade Benedito Leite

Márcio Andre e Maria Jardeane com a filha nascida na Maternidade benedito Leite. Foto: Divulgação

O Governo do Maranhão, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), oferece na Maternidade Benedito Leite, em São Luís, assistência ao parto, acesso e cuidado a gestante e ao bebê. A rede de atendimento reforça o parto humanizado e a aplicação dos testes do Coração, Pezinho e Orelhinha e, em breve, o teste do Olhinho. Já o nascimento do pequeno maranhense é registrado no projeto Primeiro Olhar. Da unidade, os cidadãos maranhenses saem com o registro civil gratuito.

A Maternidade Benedito Leite, que realizou no primeiro semestre deste ano 2.390 partos entre cesárea e normal, passou por reformas estruturais, o que permite, por exemplo, a presença de um acompanhante, inclusive do sexo masculino, durante o parto, garantindo a privacidade das demais pacientes.

São 903 bebês que já participaram do projeto Primeiro Olhar na Maternidade Benedito Leite, que oferece, gratuitamente, às família uma foto produzida de seus bebês acompanhada de informações como hora e data do nascimento, nome completo dos pais, peso e tamanho.

As fotos, produzidas por um fotógrafo profissional em um mini estúdio montado na unidade de saúde, adota o estilo dos ensaios newborn. A produção das fotos conta com adereços e peças nas temáticas bailarina, ursinho, chapeuzinhos, entre outros. O projeto, de iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde (SES), foi implantado em março deste ano na unidade.

O projeto emociona os pais. “Eu achei muito lindo, muito fofo. Fiquei tão feliz quando vi. Vestiram ela de bailarina. Ficou lindo demais”, contou, encantada, Maria Jardeane, mãe da pequena Alice Emanuele. Já Layana Clícia Lemos, de 23 anos, mãe da recém-nascida Lorena, conta que acompanhou todos os detalhes da sessão de fotos. “Eu já sabia que ia ter porque já tinha ouvido falar. Eu adorei! Fui lá, acompanhei tudo. E fiquei emocionada quando recebi o cartão”, contou.

Os serviços, somados ao bom atendimento prestado pela equipe da maternidade, têm gerado elogios, também, nas redes sociais. Em um grupo de indicações, uma mãe, que teve bebê na Benedito Leite, fez uma postagem indicando a maternidade para outras mães. “Passei alguns dias lá e em nenhum momento me senti desamparada. Sem falar no mimo que o bebê ganha, foto de estúdio nos primeiros dias de vida. Super satisfeita!”, disse Ellen Campos em um dos trechos do texto que postou.

Registro civil 
Assim que chegam à maternidade, ainda no período do pré-natal, as mães também são orientadas para a importância de registrar o recém-nascido logo após o parto, antes de receberem alta. Com a instalação do Posto de Registro Civil de Nascimento, inaugurado no início de julho, o processo ficou bem mais fácil. A instalação do Posto de Registro Civil de Nascimento, na unidade de saúde estadual, foi firmado por meio de convênio entre as Secretarias de Estado de Saúde, Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), com a 4ª Zona de Registro Civil das Pessoas Naturais do Município de São Luís.

“É um conforto para nós, pais. Uma facilidade, porque se não a gente ia ter que encarar fila em cartório pra registrar nossa filha, e a mulher em resguardo então, fica difícil, né? Tendo o cartório aqui dentro é mais fácil para os pais”, comentou o pai da bebê Alice Emanuele, Márcio André.

Para os pais, todo o processo é bem simples: basta apresentar a Declaração de Nascido Vivo (DNV), fornecido no próprio estabelecimento hospitalar para então solicitar a certidão de nascimento. Em casos em que o pai da criança não estiver presente, o reconhecimento de paternidade poderá ser feito a qualquer momento de forma gratuita nos cartórios.

“O cartório sempre foi uma aspiração antiga aqui na Benedito Leite. As mães tinham muita dificuldade para tirar o registro dos filhos. Algumas precisavam ir pro Centro, recém operadas, para registrarem seus bebês, já que alguns exames só podem ser feitos após o bebê ser registrado. É um conforto a mais para elas terem esse posto de registro na própria maternidade”, comentou o diretor da maternidade, Hilmar Hortegal.

Parto humanizado
Outro serviço que chama atenção de muitas mães é a possibilidade de realizar o parto humanizado. A mãe da Lorena, sempre quis que a filha nascesse de parto normal e conta que o apoio da equipe médica foi essencial para o nascimento de sua bebê.

“Eu tive um trabalho de parto difícil, fiquei mais ou menos 10 horas em trabalho de parto, não estava com uma boa dilatação para minha bebê sair. Eu fui no meu limite e eles tiveram muita paciência comigo. A equipe que me acompanhou realmente me ajudou muito. Se não fosse por eles, eu não teria conseguido ter minha filha. Vou ser grata pro resto da minha vida”, contou Layana Clícia.

De acordo com a coordenadora de Enfermagem da Maternidade Benedito Leite, Kelma Aguiar, com a popularização e incentivo cada vez maior ao parto humanizado é importante para as mães contarem com o serviço na rede pública. “A oferta deste tipo de parto, em uma maternidade pública, é uma satisfação para os profissionais de saúde e alívio para as mulheres. Na Benedito Leite, utilizamos as técnicas de relaxamento, como massagens nas costas, agachamento na bola de parto, caminhada assistida pelo quarto e ainda, banho na piscina com água morna”, explicou a enfermeira.

Outros serviços
Na unidade, os bebês realizam o Teste do Coraçãozinho, que permite detectar precocemente se o recém-nascido apresenta cardiopatia congênita; o Teste do Pezinho, que pode identificar doenças como hipotireoidismo congênito, entre outras; e o teste da orelhinha, que é feito no primeiro mês de nascimento da criança. “Em breve, estaremos, também, implementando o teste do olhinho. Já adquirimos o equipamento e estamos em fase de treinamento”, antecipou o diretor da unidade, Hilmar Hortegal.

Powered by WPeMatico