Governo estadual inicia campanha Dezembro Vermelho com ações de conscientização, prevenção e tratamento

 

Lançamento do Dezembro Vermelho no Hospital Presidente Vargas. (Foto: Jardel Scot)

A campanha Dezembro Vermelho foi lançada, nesta segunda-feira (3), no Hospital Presidente Vargas, unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES) referência neste tipo de atendimento. Durante este mês, ações e atividades educativas vão chamar a atenção sobre a necessidade da prevenção e da assistência às pessoas vivendo com HIV/Aids.

Segundo a chefe do Departamento de Atenção às DST/AIDS/Hepatites Virais da SES, Jocélia Frazão, os índices de mortalidade estão diminuindo no país, assim como o contágio vertical (mãe/bebê) e as pessoas com o vírus estão vivendo com mais qualidade. Ela, contudo, alerta que é preciso continuar investindo no trabalho de prevenção. “Este ano, vamos trabalhar em parceria com as escolas, porque tem aumentado o índice de casos entre a população entre 15 e 29 anos. Vamos apoiar as ações dos municípios, pois nosso foco é também fortalecer quem executa a política”, informou Jocélia Frazão.

Na avaliação da chefe do departamento, a SES ampliou desde o acesso à testagem até a redução do tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento. “Nosso hospital referência tem fortalecido o combate ao vírus. As pessoas têm procurado o serviço e aderido ao tratamento, ficando a carga viral indetectável”, disse.

Paulo Ribeiro, coordenador da Casa de Apoio Acolher, uma associação civil sem fins lucrativos que recebe e apoia pessoas de outros municípios em tratamento no Hospital Presidente Vargas, destacou a necessidade de haver campanhas como a do Dezembro Vermelho. “É importante a prevenção, mas também precisamos acolher quem é portador do vírus. Temos tido muitos avanços na questão medicinal, mas temos algo que mata mais que o vírus, que é o preconceito. Precisamos fazer com que essas pessoas sejam respeitadas”, disse.

Referência

Dezembro Vermelho. (Foto: Jardel Scot)

Atualmente, 5.310 pessoas vivendo com HIV/Aids fazem acompanhamento regular no ambulatório específico para esse público no Hospital Presidente Vargas. No local, é possível ainda ter acesso a estratégias e tecnologias mais avançadas para a prevenção a infecção pelo vírus, como a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós Exposição (PEP).

“Trabalhamos com uma equipe multidisciplinar para garantir mais qualidade de vida às pessoas vivendo com HIV e triplicamos o quadro de médicos que atuam no ambulatório. Temos buscado a conscientização e sensibilização da importância de se realizar o teste rápido. Tudo isso tem impactado para que aumente o diagnóstico precoce, o tratamento adequado e aumente a qualidade de vida”, comentou a diretora geral do hospital, Leyna Melo Lima.

Fonte: SES