Governo do Maranhão e Ministério da Saúde incentivam combate ao Aedes aegypti em São Luís

Sem deixar água parada, a população de São Luís participou do jogo ‘Zika Zero’ e teve a oportunidade de aprender formas de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. A brincadeira, com caráter educativo, foi realizada na Praça Deodoro, nesta sexta-feira (24). A ação foi realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e continua neste sábado (25), das 8h às 17h.

O jogo ‘Zika Zero’ está percorrendo todas as capitais do Nordeste incentivando a eliminação de criadouros e o desenvolvimento de práticas de prevenção. A brincadeira está disponível, em dois tamanhos, para adultos e crianças, além de totens com a versão digital. O secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, explica que toda ação é importante para sensibilizar a população, assim como os gestores municipais na intensificação do combate permanente contra o Aedes aegypti.

“O Governo ampliou ações, investiu e continua investindo em atividades de combate à dengue, chikungunya e zika. A parceria com o Ministério da Saúde traz, neste fim de semana, o ensinamento lúdico, através da intervenção urbana, com jogos e totens interativos. Agora, nesse pós-período chuvoso, é necessário redobrar o cuidado dentro das casas e, para isso, a participação da população é indispensável”, afirmou o secretário adjunto Marcelo Rosa.

Segundo a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Maria das Graças Lírio Leite, o Maranhão tem construído parcerias importantes com a Educação, Forças Armadas, ONGs, Secretarias Municipais de Saúde, dentre outras instituições. “A população está mais ativa, preocupada, contribuindo com a limpeza da cidade e permitindo as visitas domiciliares realizadas pelos agentes de saúde e endemias”, reforçou a superintendente Graça Lírio.

Prevenção

O jogo ‘Zika Zero’ incentiva o aprendizado, de forma divertida, lúdica e com mensagens educativas como: “Elimine pneus de forma apropriada para que não acumulem água parada”. Moradora da Vila Lobão, a dona de casa Benedita Oliveira, 72 anos, não deixa água parada. No jogo, ela simulou os cuidados que adota no dia a dia. “Na minha casa lavo e cubro os depósitos. A caixa d’água é lavada com frequência”, ensinou, após eliminar no jogo virtual, a larva que ela combate na vida real, para evitar proliferação do Aedes aegypti.

zika zero]

Acompanhado da mãe Dayane Flor dos Santos, 30 anos, o estudante Rawan dos Santos Arruda, 8 anos, ficou encantado com o tamanho e dicas dos jogos e aprendeu como combater o mosquito. “Nunca deixar água acumulada e parada”, disse. Segundo a mãe, moradora do bairro Cidade Operária, parte da família já apresentou sintomas da chikungunya e zika. “Mantenho minha casa limpa. Nunca encontrei foco do mosquito. Penso que os vizinhos têm que fazer o mesmo”, destacou Dayane Flor.

Fonte: SES