Enfermeiros discutem saúde mental e qualidade de vida em encerramento da I Jornada de Enfermagem da Rede Estadual de Saúde

enfermeiraPara marcar o Dia mundial do Enfermeiro, comemorado no último dia 12 de maio, o Governo do Maranhão, por meio do Hospital Nina Rodrigues em parceria com as UPAs da região metropolitana de São Luís e o Hospital Geral da Vila Luizão  realizou de 11 a 13 de maio a da I Jornada de Enfermagem da Rede Estadual de Saúde. Com ampla programação, o evento abordou temas atuais e do cotidiano dos enfermeiros que atuam nas unidades envolvidas no evento.

No encerramento da programação, que aconteceu nesta sexta-feira, 13, no auditório do COREME, no Hospital Nina Rodrigues, a psicóloga Candida Alves foi convidada a fazer um importante alerta aos profissionais. “O que queremos é incentivar esses profissionais a também cuidarem de si, olharem para sua qualidade de vida. Eles precisam estar bem para poder cuidar das pessoas também”, explicou. De acordo com a psicóloga, grande parte dos profissionais de enfermagem vive uma sobrecarga emocional por conta do perfil da profissão. “Eles trabalham por turnos que são muito desgastantes, perdem muitas horas de sono e tudo isso acarreta problemas de saúde como o stress, a ansiedade, alguns distúrbios”, afirmou.

Ela destacou ainda a responsabilidade pelos cuidados diretos dos pacientes. “Os enfermeiros são os profissionais que passam mais tempo com os pacientes e familiares, eles vivenciam muito as angustias que sofrem os seus pacientes. Lidar com noticias de ruins, com a pressão da família dos pacientes, tudo isso afeta a saúde mental dos profissionais e esses problemas podem deixá-los doentes também”, disse.

A enfermeira Elza Lima concordou com o alerta da psicóloga Candida Alves. “ A gente precisa prestar atenção na nossa saúde mesmo. Os longos turnos de trabalho deixam nossa rotina muito cansativa e a maioria de nós precisa ter dois, três empregos, o que torna esses turnos mais longos ainda e o tempo para cuidar da saúde fica cada vez menor. Serve o alerta de que às vezes é preciso desacelerar, pelo nosso bem”, disse.

Além da palestra “Saúde Mental e Qualidade de Vida do Profissional de Enfermagem”, temas atuais do cotidiano dos enfermeiros foram discutidos ao longo dos três dias da Jornada. A palestra Notícias Difíceis, proferida pela professora do Departamento de Enfermagem da UFMA, Francisca Georgina Sousa, e a Avaliação de Feridas, proferida pelo estomaterapeuta, Paulo Dionísio, foram algumas das mais concorridas devido a relação com a prática do dia-a-dia da profissão. “O evento foi muito proveitoso, os palestrantes muito bem preparados , as palestras foram muito atuais. Foi uma oportunidade de aprender um pouco mais, de nos atualizarmos mesmo, sobre algumas coisas que fazemos no nosso dia-a-dia na profissão”, explicou a enfermeira Silvana Brito.

Segundo o diretor do Hospital Nina Rodriges, Ruy Ribeiro Marques Cruz, a seleção de temas buscou  abordar situações relevantes do cotidiano dos enfermeiros. “A programação teve uma variedade de conhecimentos específicos, nós fizemos uma articulação, com o apoio da Secretaria de Saúde, a Emserh e a Invisa , que nos permitiu a oportunidade de reunir estes profissionais nesses três dias para discutir temas que são do nosso cotidiano e que, muitas das vezes, no dia a dia corrido, nós não temos acesso tão facilitado a esse conteúdo”, concluiu.