Em 4 anos, Governo reestrutura rede de saúde, amplia cobertura assistencial e fortalece a regionalização do atendimento

O Governo do Maranhão melhorou o acesso, a efetividade e a eficiência dos serviços no SUS no Maranhão nos últimos quatro anos. Nesse período, a gestão estadual entregou à população maranhense dez hospitais e a Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão (Sorrir). Além disso, implantou e melhorou outros serviços, como a hemodiálise nas regiões de Chapadinha e Pinheiro, a Unidade de Oncologia Pediátrica, em Imperatriz, e a UTI Pediátrica Cardiológica no Hospital Dr. Carlos Macieira, em São Luís.

Os investimentos e mudanças fazem parte do processo de reestruturação da rede estadual de saúde, que resulta, dentre outras coisas, na regionalização do atendimento e na ampliação da cobertura assistencial. “Corrigimos desigualdades regionais de acesso e promovemos a integração de serviços de saúde. Dessa forma, garantimos atendimento perto de casa, evitamos deslocamentos para a capital e ainda protegemos a vida”, analisa o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

De 2015 a 2018, foram inaugurados hospitais nos municípios de Pinheiro, Caxias, Imperatriz, Santa Inês, Bacabal, Balsas, Chapadinha e Colinas. Além destes, também foram entregues o Hospital do Servidor e o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO). Este último rapidamente tornou-se referência de atendimento, pois possibilitou assistência ágil aos traumatizados, inclusive de outros estados.

O lavrador de Presidente Vargas, Antônio Manoel Barbosa, de 50 anos, sabe a diferença que essas unidades fazem na vida do maranhense. Ele sofreu um acidente de moto no dia 24 de novembro e foi trazido para São Luís com o fêmur quebrado. Após 10 dias aguardando leito em um hospital da rede municipal, ele foi transferido para o HTO.

“O HTO foi a melhor coisa que já inventaram. Aqui somos bem tratados, todo hora tem gente aqui procurando saber se estamos bem. Sofri muito, eu só pensava que era melhor morrer logo, mas hoje tenho vida, tenho certeza que vou viver. Aqui é o melhor lugar para quem tem uma fratura, se quiser ter vida é vir para cá”, relatou.

Urgências e emergências

HTO é um dos grandes hospitais entregues pelo gestão estadual e que mudou a vida dos maranhenses. (Foto: Divulgação)

Na Rede de Atenção às Urgências, cuja finalidade é qualificar o acesso humanizado e integral aos usuários em situação de urgência e emergência nos serviços de saúde, de forma ágil e oportuna, os avanços incluíram a ampliação da oferta de atendimento com a implantação da UPA de Chapadinha; a entrega de 172 ambulâncias para os municípios e serviços próprios. Soma-se a isso a oferta de leitos de retaguarda e Unidades de Cuidados Intensivos nos hospitais Macrorregional Tomás Martins, em Santa Inês; Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, em Pinheiro; de Traumatologia e Ortopedia (HTO), em São Luís; Regional Dr. Everaldo Ferreira Aragão, em Caxias; Macrorregional Dra. Ruth Noleto, em Imperatriz; Geral de Chapadinha; e ampliação de 39 leitos no Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM).

O Governo do Maranhão, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), também reformou e equipou os hospitais de Cajari, Turiaçu e Ribamar Fiquene, entregues para os respectivos municípios para gestão municipal.

Outros investimentos

Hospital Macrorregional de Imperatriz realiza atendimento de alta e média complexidade. (Foto: Divulgação)

A reestruturação da rede estadual de saúde também contemplou a rede materno-infantil, com a implantação de leitos de UTI Materna na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão; a reinauguração da Maternidade Nossa Senhora da Penha, em São Luís; entrega do Hospital Regional de Balsas e da Maternidade Humberto Coutinho, em Colinas; reforma do Hospital Regional Materno-Infantil de Imperatriz e do Hospital Regional Adélia Matos da Fonseca, em Itapecuru-Mirim.

Foi inaugurada, ainda, a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera (CGBP) Dra. Eimar de Andrade Mello, em Imperatriz. Ainda nessa área, foram implantados os Centros Sentinela de Planejamento Reprodutivo na Maternidade Benedito Leite, em São Luís; na Maternidade Humberto Coutinho, em Colinas; e no Hospital Regional de Balsas. Os Centros Sentinela ampliaram o acesso das mulheres a métodos contraceptivos, à informação e à educação para a sexualidade.

As pessoas com deficiência também tiveram ampliado e qualificado o atendimento nos últimos quatro anos. A implantação do Ambulatório de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (Ninar), da Casa de Apoio Ninar, assim como os serviços de Reabilitação Visual, do Transtorno do Espectro Autista e emprego da Talassoterapia no Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde do Olho d’Água (CER Olho d’Água). No interior do estado, o Centro de Especialidades Médicas (CEM) em Barra do Corda passou a oferecer consultas em fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional, expandindo para a região os serviços de reabilitação física.