Dia Mundial de Higienização das Mãos é marcado por mobilização em unidades hospitalares

 

maos“Uma boa higienização das mãos reduz em 80% o risco de transmissão de infecção hospitalar”. Com a afirmação do médico Clóvis Carneiro, infectologista e coordenador da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), do Hospital de Câncer Tarquínio Lopes Filho (HCTLF), é possível ter a dimensão da importância dessa prática na rotina diária de uma unidade de saúde. Manter as mãos limpas é a medida individual mais simples para prevenir a propagação de bactérias que podem afetar a saúde.

Por esse motivo, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), viabilizou ações de mobilização em diferentes unidades hospitalares em referência ao ‘Dia Mundial de Higienização das Mãos’, comemorado nessa quinta-feira (5). Em geral, as ações foram coordenadas pelas direções dos hospitais em parceria com o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), Núcleo de Educação Permanente (NEP) e Coordenação de Enfermagem.

Segundo o médico infectologista, Clóvis Carvalho, a correta higienização é necessária antes e após o contato com o paciente e o ambiente hospitalar. “Nosso principal interesse é evitar a propagação de doenças. É importante ressaltar que a higienização das mãos geralmente consiste em lavar as mãos com água e sabão ou pela fricção com álcool a 70%”, pontuou o médico.

Para a higienização ambos são corretos e atendem perfeitamente o objetivo de eliminar os microorganismos, porém as soluções com álcool são mais potentes no caso da eliminação exclusiva de bactérias. “O álcool gel só deve ser utilizado caso as mãos estejam limpas, sem qualquer sujeira visível. Se a mão estiver suja é preciso primeiramente lavar com água e sabão em todos os locais, palma, dorso, entre os dedos, unhas e punhos”, explicou o infectologista.

O ‘Dia D de Higienização das Mãos’ no HCTLF, faz parte da campanha ‘Mãos que cuidam, mãos que curam’, que vem sendo realizada no hospital desde abril. Nesta quinta-feira (5), a programação foi realizada com palestras e abordagens pelos setores do hospital para conscientizar os profissionais de saúde da unidade, pacientes e seus acompanhantes sobre essa importância. Dentre os temas abordados esteve a ‘Higienização das Mãos, um gesto que salva’, e ‘Cinco passos para a higienização das mãos e sua importância’.

“Com essas ações conseguimos dar continuidade no cuidado que precisamos ter com os pacientes. Por isso, é importante inserir os acompanhantes nesse aprendizado de como lidar com os pacientes dentro e fora do ambiente hospitalar de forma a não comprometer ainda mais a saúde daqueles em tratamento, ou promover novas infecções por meio do contato sem uma higiene eficiente”, justifica a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente, Thaiana Abas.

O enfermeiro da CCIH, Raimundo José Carvalho, ressaltou que o cuidado com a higienização correta das mãos é uma rotina dos profissionais do HTLF, onde a CCIH desenvolve a conscientização da importância de manter as mãos limpas e higienizadas, principalmente no trato de pacientes oncológicos. “Para eliminar o meio transmissor de bactérias e infecções, é necessário que todos façam de maneira correta essa higiene, é o que reforçamos constantemente, principalmente para preservar os nossos pacientes, seus familiares e os colaboradores do hospital”, garantiu.

Raimunda Lima, 45, acompanha o filho em tratamento no HCTLF há oito meses. Para ela ter acesso às informações prestadas pela equipe, eter o recurso adequado para manter a higiene é também uma maneira de promover saúde. “Tem lugares que as pessoas nem se importam se o ambiente está limpo, se tem álcool gel, ou mesmo uma torneira com água e sabão. Eu cuido o máximo possível da higiene das mãos para preservar a saúde do meu filho, e fico feliz com ações como essa em que o hospital é o principal interessado em nos proporcionar um ambiente mais seguro contra as infecções”, contou.

A programação no Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, reuniu alguns profissionais na área externa do hospital em uma programação que envolveu além de palestras educativas, workshop com demonstração dos cinco passos para higienização e momentos de interação voltados ao tema. “Instalamos um programa, desde o início do ano, que objetiva o comprometimento de todos com a higienização, pois sabemos que é imprescindível esse cuidado para controle de infecção principalmente nos setores críticos”, disse a coordenadora de enfermagem, Deilza Moraes.

No Hospital de Referência Estadual de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira (HCM), a data foi lembrada com palestra ‘Higiene das Mãos: medida-chave para prevenir as infecções’, ministrada pela especialista em prevenção e controle de infecções, Júlia Yeko Kawagoe.

O evento reuniu a equipe multiprofissional, incluindo os que atuam na área assistencial e na área administrativa. “A proliferação de uma série de doenças poderia ser evitada com uma simples lavagem de mãos. No ambiente hospitalar, é necessário um cuidado reforçado para garantir a segurança do paciente e a qualidade da assistência”, pontuou a especialista.