Começa hoje Campanha nacional contra a Gripe

Começa nesta segunda-feira (23/4) em todo o país a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe.

No Maranhão, a meta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) é vacinar 1.687.524 pessoas. A vacina previne contra H1N1 e H3N2, subtipos do vírus Influenza A, e contra Influenza B. A dose é contraindicada apenas para quem apresentou reação anafilática em doses anteriores ou tenha alergia grave ao ovo de galinha e seus derivados.

Para receber a imunização basta se dirigir a uma das unidades básicas de saúde de segunda a sexta-feira, em horário comercial, com o cartão de vacinação. Ao todo, são cerca de 1.400 salas de vacinação e 8.400 pessoas envolvidas em todo o estado. Na capital, no dia ‘D’ de vacinação(12 de maio), serão 71 postos, sendo 64 nas Unidades de Saúde e sete postos volantes. A campanha vai até 1º de junho.

Precauções

Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Em caso de ocorrência de síndrome de Guillain-Barré (SGB) no período de até seis semanas após uma dose anterior, recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre os benefícios e risco da vacina antes da administração de uma nova dose.

População alvo para vacinação contra gripe
– Idosos com 60 anos ou mais;
– Crianças entre 6 meses de idade até 4 anos, 11 meses e 29 dias;
– Gestantes – deverão receber a vacina influenza em qualquer idade gestacional;
– Mulheres (puérperas) até 45 dias após parto;
– Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especais mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentado no ato da vacinação;
– Povos indígenas, a partir dos seis meses de idade;
– Professores das escolas públicas e privadas;
– População privada de liberdade e funcionários do Sistema Prisional;
– Adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos de idade em cumprimento de medidas socioeducativas.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde (SES)