CER Olho D’água faz programação alusiva ao Dia Mundial da Paralisia Cerebral

O Centro Especializado em Reabilitação e Promoção de Saúde do Olho D’água (CER Olho D’água), unidade gerida pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), marcou o Dia Mundial da Paralisia Cerebral, dia 6 de outubro, com uma programação especial. Referência no atendimento a crianças com paralisia, a unidade desenvolve um trabalho especializado e de qualidade a esse público. Atualmente, atende uma média de 656 crianças com paralisia cerebral de todo o Maranhão.

No evento de terça-feira (6), houve a distribuição de material educativo aos pacientes e seus acompanhantes. O manual de orientações para pais de crianças com paralisia cerebral foi escrito pela terapeuta ocupacional Valéria Ferreira, que presenteou a unidade com vários exemplares.

“Mais do que ofertar cuidado em saúde, também sabemos da importância de empoderar nossos pacientes e seus familiares sobre a paralisia cerebral. A informação rompe barreiras e abre caminhos para essas famílias”, reforçou Ana Eugênia Araújo Furtado, diretora administrativa do CER Olho d’Água.

Mariene Conceição da Silva acompanha o tratamento do filho Witalo Conceição da Silva há 4 anos no Centro Especializado em Reabilitação e Promoção de Saúde (CER Olho D’água). Segundo ela, receber o diagnóstico é difícil, mas as terapias ajudam no dia a dia.

“Descobri a paralisia cerebral com 1 ano de vida do meu filho e desde quando descobri comecei logo a fazer a fisioterapia. Fiquei muito chocada, parei tudo, parei inclusive com o meu serviço. Não faço outra coisa a não ser cuidar dele. É uma luta, mas vamos superando a cada dia, com a contribuição da fisioterapia. Ele é um pouco manhoso, chora comigo, mas tudo eu aprendo para fazermos em casa também e ajudar no tratamento. Cada dia eu vou avançando mais, é uma superação!” relatou.

Elysrejane Ferreira Pacheco, mãe do João Pedro de 2 anos, também está muito satisfeita com o tratamento que o filho vem tendo na unidade de saúde. “Não faz muito tempo que descobrimos o diagnóstico, foi em março deste ano. Eu agradeço muito o CER do Olho D’água, foi aqui a primeira vez que chamaram a nossa atenção para gente ir atrás de um neuropediatra, um tratamento mais aprimorado para o João. A impressão que tinha era que ele tinha apenas um atraso no desenvolvimento. Depois desses meses de tratamento aqui no CER, já percebemos uma boa evolução, tanto em casa quanto em passeios em outros locais onde o levo. A primeira transformação que percebi foi na questão motora e graças a Deus o João já anda e tá muito bem”, comemorou.

A equipe multidisciplinar do CER Olho d’Água conta com profissionais nas especialidades de neurologia e pediatria; e oferta serviços e exames nas áreas de fisioterapia especializada, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia, psicopedagogia, nutrição, enfermagem, educação física, serviço social, acupuntura, pilates e hidroginástica.