Centro de Saúde CEMESP comemora seis anos

Paciente recebendo atendimento odontológico no CEMESP

Paciente recebendo atendimento odontológico no CEMESP

Pacientes com diagnóstico de diabete e hipertensão têm atendimento garantido no Centro de Medicina Especializada (CEMESP), no Bairro de Fátima. A unidade, administrada pelo Governo do Maranhão, via Secretaria de Estado da Saúde, e gerida pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), é referência estadual em diabetes e hipertensão arterial.

Os números referentes ao atendimento aumentam cada vez mais. Ano passado, somaram mais de 32 mil, incluindo consultas e exames. Este ano, de janeiro a julho, foram mais de 31 mil atendimentos, entre consultas e exames. A expectativa é que esse número cresça. Um dos requisitos para atendimento é que o paciente apresente relatório médico com registro de diabetes ou hipertensão. Após a triagem na Clínica Médica, ele é direcionado para atendimento em cardiologia e endocrinologia.

“Nossa equipe de profissionais de saúde tem se empenhando cada vez mais para fazer o melhor pelos pacientes. Isso tem sido possível com o apoio do Governo do Estado, via Secretaria de Estado da Saúde e EMSERH. Aqui (CEMESP), o paciente recebe atendimento especializado a partir da Sala de Espera, durante palestras com orientações sobre diabetes e hipertensão arterial”, explica a diretora administrativa da CEMESP, Ana Flávia Oliveira Lustosa.

O atendimento ao usuário começa desde a Sala de Espera, quando o supervisor administrativo da CEMESP, Fábio Fernandes Garcês, dá orientações e profere palestras sobre temas como “Cuidados essenciais para o diabetes”.

A Capacitação Estadual para o Controle da Diabetes e Hipertensão na Unidade é realizada por uma equipe de profissionais que garante atendimento diário aos maranhenses. A diretora técnica, Lícia Warwick Dourado, ressalta que o empenho da equipe tem sido contínuo para garantir atendimento de qualidade no CEMESP.

Pacientes recebem orientações sobre Diabetes e Hipertensão na sala de espera do CEMESP

Pacientes recebem orientações sobre Diabetes e Hipertensão na sala de espera do CEMESP

Doenças Crônicas – De acordo com o Ministério da Saúde (MS), entre a população adulta, são mais de 30 milhões de hipertensos e 12 milhões de diabéticos no Brasil. Praticar exercícios físicos, não consumir bebidas alcoólicas, não fumar e ter uma alimentação regrada são algumas formas de levar uma vida saudável sem as complicações dessas doenças.

A hipertensão e o diabetes são igualmente perigosos. No caso do diabetes, evitam-se problemas renais, cardiovasculares e até cegueira e amputações. Em relação à hipertensão, o agravo maior é o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O levantamento revela que, no Brasil, o indicador de diabetes aumenta com a idade e é quase três vezes maior entre os que têm menor escolaridade. Nas pessoas com idade entre 18 e 24 anos, por exemplo, o índice é de 0,9%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, o índice é de 5,2% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 19,6%. O maior registro, entretanto, é na população com 65 anos ou mais, que apresenta índice de 27,2%.