14 de novembro de 2018

CEMESP registra aumento nos casos de Diabetes em São Luís

CEMESP REGISTRA AUMENTO NOS CASOS DE DIABETES EM SÃO LUÍS
Unidade é referência estadual no atendimento a pacientes diabéticos e hipertensos

Mais de 90 mil pessoas recorreram este ano ao Centro de Especialidades Médicas (CEMESP), referência em diabetes e hipertensão, unidade gerida pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). Hoje (14), Dia Mundial de Diabetes, a direção da unidade alerta que os casos avançam e é cada vez maior o número de pessoas recorrendo aos serviços especializados. Ano passado, o Centro registrou 117.574 atendimentos. Em 2018, de janeiro a outubro, foram contabilizados 91.962.

A diretora administrativa do CEMESP, Ana Flávia Oliveira Lustosa, disse que todo o corpo administrativo e de profissionais de saúde que lá atuam tem se empenhado para realizar ações com foco na prevenção.  “Acreditamos que é necessário um movimento que sensibilize toda a sociedade e gere mudanças que produzem resultados benéficos como o diagnóstico precoce, prevenção em quadros de pré-diabetes, implementação de qualidade de vida, alimentação saudável, redução do subtratamento e implantação/potencialização de políticas públicas voltadas para a garantia dos direitos desse público”, disse Flávia Oliveira.

A direção do CEMESP informou que para dar início ao tratamento, o paciente deve apresentar relatório médico, ser diabético ou hipertenso e, em seguida, dar entrada no tratamento clínico para triagem inicial. Posteriormente, é direcionado ao tratamento ideal. A unidade atende de segunda a sexta-feira, com uma equipe de seis endocrinologistas, sendo um endócrino-pediatra.

Segundo registros do CEMESP, em 2017 foram contabilizados pelos endocrinologistas 7.875 pacientes. O atendimento geral somou mais de 117.574. Em 2018, até outubro, já são 5.915 pacientes atendidos. Os atendimentos gerais somaram 91.962.

Conforme dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 13 milhões de brasileiros, entre 20 e 79 anos, sofrem com diabetes e até 2045 a doença deverá afetar 24 milhões de pessoas. A maior parte dos pacientes não conseguirá controlar a doença.

 

Há dois tipos de diabetes: o tipo 1, de origem genética, que começa a se manifestar na infância ou na adolescência, e o tipo 2, que pode ser desenvolvida na fase adulta e é influenciada pelo estilo de vida das pessoas. Hábitos como tabagismo, sedentarismo e má alimentação contribuem para o surgimento da doença.

Fonte: Comunicação e Marketing/EMSERH

Daucyana Castro

POSTAGENS

RECENTES


Governo disponibiliza drive-thru de testagem para a Covid-19 a partir de segunda-feira (4)

Por Daucyana Castro O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), vai disponibilizar, a partir [...]

Governo reduz espera de maranhenses por procedimentos oftalmológicos com o Programa Mais Cirurgias

Com o Programa Mais Cirurgias, o Governo do Estado tem ampliado a oferta de procedimentos oftalmológicos pelo Maranhão e, assim, [...]

UPA de Paço do Lumiar celebra dois anos de funcionamento com mais de 200 mil atendimentos

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Paço do Lumiar completou, em 23 de junho, dois anos de funcionamento, contabilizando [...]