Campanha ‘Junho vermelho’ supera meta de doadores de sangue

Foto-1_Julyane-Galvão_SES_28062016-Campanha-‘Junho-vermelho’-supera-meta-de-doadores-de-sangueDoador de sangue há cinco anos, o promotor de vendas Lauande Silva comparece ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), de dois em dois meses, para doar duas bolsas de sangue. “Gosto de ajudar, toda vez que o setor de captação precisa, eu venho. O que eu puder fazer para salvar uma vida, eu faço”, explica.  Lauande é um dos doadores que marcaram presença durante o mês de junho na campanha ‘Junho vermelho’.

De 1º a 27 de junho, o Hemomar, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), contabilizou 5.217 doadores e 4.339 bolsas coletadas. A campanha, que teve como tema ‘Arraste o pé e estique o braço. Neste São João, doe sangue’, superou as expectativas ao registrar um aumento de 12% dos doadores e 7% de bolsas coletadas, em comparação com o mesmo período de 2015.

A diferença na quantidade de doadores e no número de bolsas coletadas é baseada na triagem feita antes de ocorrer a doação. Maria do Socorro Ferreira, chefe de captação da Hemomar, explica que nem todas as pessoas que chegam para doar estão aptas. “A boa vontade de alguns doadores, muitas vezes, não resulta na coleta da bolsa de sangue. Por isso, são feitas duas triagens – hematológica e clínica – com base em vários critérios, um deles é o peso”, esclareceu Socorro.

A campanha é uma estratégia para manter a média de doações e reforçar o estoque do banco de sangue do Estado. Durante todo este mês de junho, foram realizadas atividades educativas com palestras sobre doação de sangue e atividades de coletas externas. A campanha ‘Junho vermelho’ encerrou nesta terça-feira (28), mas algumas ações, como as desenvolvidas pela assistente social Francinete Araújo, tem efeitos para além desse período. Ela trabalha na sensibilização das pessoas sobre a carência de bolsas de sangue. “A necessidade de bolsas é muito grande, quanto mais pessoas puderem doar, mesmo com o fim da campanha, serão muito bem-vindas”, comentou.

Jefesson Dias, 25 anos, pela primeira vez compareceu ao Hemomar para realizar este ato de solidariedade e afirma que será um doador constante. “Doar sangue é uma ação de amor à vida. Esta agulha pode acabar com a angústia de centenas de pessoas. Não há o que temer quando se pensa no bem ao próximo”, garantiu.

Critérios para doação

Todas as orientações quanto aos critérios para doação de sangue são disponibilizadas no site e na sede do Hemomar. Além de estarem saudáveis, os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos – sendo que menores de idade precisam de consentimento formal do responsável legal –, ter peso acima de 50 kg, não ter evidência clínica ou laboratorial de doenças transmissíveis pelo sangue como hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas, e não fazer uso de drogas ilícitas injetáveis.

Há ainda impedimentos temporários, como gripe ou resfriado, febre, gravidez e pós-parto. No dia da doação, é necessária apresentação de documento com foto, expedido por órgão oficial. Após a doação, o intervalo para a próxima coleta é de 90 dias para mulheres e 60 dias para homens.