Mais de 50 mil atendimentos no CEM da Cidade Operária

Foto-1_Francisco-Campos_SES_19052016-Centro-de-Especialidades-Médicas-da-Cidade-Operária-contabiliza-mais-de-50-mil-atendimentos-em-abril-1024x697Uma unidade da rede estadual de Saúde completa, com 12 áreas médicas, nove de assistência multidisciplinar e diversos serviços de apoio diagnóstico e terapêutico. O Centro de Especialidades Médicas (CEM) da Cidade Operária tornou-se uma referência para 73 localidades diferentes, sendo capaz de realizar por mês mais de 50 mil procedimentos. Localizado no mesmo prédio onde funciona a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Operária, o CEM é voltado exclusivamente para atendimentos clínicos especializados e não realiza atendimentos de urgência e emergência.

Dentre os serviços oferecidos, todos garantidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), estão atendimentos clínicos em cardiologia, neurologia, gastroenterologia, ortopedia, ginecologia, dermatologista, pediatria, geriatria, endocrinologia, otorrinolaringologia, pneumologia e clínica médica. A unidade conta com uma equipe de assistência multidisciplinar que envolve serviços de enfermagem, fonoaudiologia, fisioterapia, nutrição, assistência social, terapia ocupacional, psicologia, psicopedagogia e odontologia.

Apenas no mês de abril, foram realizados 3.911 atendimentos ambulatoriais nas áreas de atendimento médico, e 30.065 procedimentos de assistência multidisciplinar. O serviço de fisioterapia é considerado o mais expressivo, com 16.601 sessões realizadas. Somando com os 4.694 exames laboratoriais e os 15.804 serviços de apoio diagnóstico, foram 54.474 procedimentos somente no mês passado.

Atualmente, 30 profissionais prestam serviço médico especializado, e outros 19, assistência multiprofissional. Segundo a diretora administrativa do CEM, Maria Gorete Lima de Almeida, a meta é ampliar o número de profissionais para conseguir atender um contingente ainda maior. “Ampliando esse quantitativo, automaticamente aumenta o número de vagas, pois nossa intenção é conseguir atender a todos que buscam o Centro como uma referência de assistência médica especializada, sempre priorizando a qualidade e eficiência dos serviços que são prestados”, explicou a diretora.

Para a coordenadora de enfermagem do CEM, Anny Caroline Lobo Correa, os exames laboratoriais que hoje são oferecidos, bem como os serviços de apoio diagnóstico, também tendem a ser ampliados. “Nós temos um grande suporte técnico funcionando dentro da unidade. Com a ampliação que será feita, conseguiremos oferecer à população mais qualidade e agilidade nesses serviços”, considerou.

 

Os agendamentos das consultas funcionam pela Central de Marcação (Cemarc), que funciona na própria unidade. Mensalmente, é aberto o número de vagas para cada especialidade.

Dentre os procedimentos ambulatoriais disponibilizados estão aferição de pressão arterial, teste de glicemia capilar, teste do pezinho, vacinação de rotina e pré-natal. Os serviços de apoio diagnóstico compreendem análise clínica, suturas, audiometria, função pulmonar, endoscopia digestiva, eletrocardiograma, ultrassonografia e exames laboratoriais, com uma unidade do Laboratório Cedro que atende em parceria com o CEM.

Centro de reabilitação

O Centro de Reabilitação da Cidade Operária funciona como apoio integrado aos serviços do Centro de Especialidades Médicas. O trabalho garante o desenvolvimento de habilidades funcionais e promove autonomia das pessoas com deficiência, a partir do tratamento das incapacidades causadas por doenças crônicas, sequelas neurológicas, acidentes de transito ou trabalho.

Os serviços de fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, psicopedagogia e nutrição, juntos, prestaram – apenas no primeiro trimestre – 92.922 atendimentos. Em salas amplas e individuais, o Centro de Reabilitação funciona no Centro Educacional e Social São José Operário, localizado em frente à Upa da Cidade Operária, e consiste em uma ferramenta pública para viabilizar recuperação física e psicológica. A meta é proporcionar a reintegração social, bem-estar físico e psíquico de seus pacientes.

É o caso de Samara Fernandes, mãe da pequena Sara Fernandes, de quatro anos, que há um mês recebe cuidados em fisioterapia no Centro de Reabilitação. “A Sara é uma criança tetraplégica com paralisia cerebral, por isso, contar com esse recurso é essencial para influenciar na qualidade de vida dela, que já apresentou melhoras em apenas um mês de tratamento”, contou Samara Fernandes.

Segundo a coordenação do Centro de Reabilitação, também são oferecidos serviços como hidroterapia e acupuntura de forma complementar à medicina física e de reabilitação. “O objetivo dessa assistência integrada é possibilitar o aperfeiçoamento, ou adaptação do individuo para melhoria de sua qualidade de vida”, avaliou Anny Caroline Lobo Correa.